Covid-19. Itália vai impulsionar “campanha de vacinação sem precedentes”

A Itália iniciará no final de Janeiro uma “campanha de vacinação sem precedentes” começando pelos grupos da população mais expostos à Covid-19, anunciou no sábado o ministro italiano da Saúde, Roberto Speranza.

A campanha “ocorrerá até o final de Janeiro, quando esperamos receber as primeiras doses destinadas às categorias mais expostas”, declarou o ministro no Congresso de Farmacêuticos italianos.

A “campanha de vacinação sem precedentes exigirá uma mobilização extraordinária de todas as forças presentes”, estimou o governante.

Enquanto o movimento contra a vacinação conta com vários seguidores na Itália, o ministro lembrou que “as vacinas representam um grande passo adiante na história da humanidade”.

Na sexta-feira, o comitê técnico-científico, organismo público encarregado de assessorar o governo na sua política de combate à pandemia, lembrou que “a presença da agência italiana de medicamentos e das agências reguladoras internacionais oferece garantias sobre a segurança das vacinas”.

De acordo  com uma sondagem do instituto Ipsos para o canal de televisão La7, divulgada na terça-feira, 16 por cento dos italianos entrevistados afirmam que rejeitarão a vacina que estará disponível em 2021 e 42 por cento dizem que vão procurar averiguar a eficácia do imunizante antes de se vacinarem.

Apenas um terço dos inquiridos disse que se iria vacinar “sem dúvida nenhuma assim que a vacina estiver disponível”. Além disso, 58 por cento considera que não haverá doses suficientes para todos.

Itália, o primeiro país europeu a ser duramente afectado pela primeira vaga do coronavírus, registou até agora pelo menos 1,34 milhão de casos, dos quais mais de 48.000 morreram.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.