Mulher morre depois de ser quase “sugada” em pleno voo

O incidente decorreu nos Estados Unidos da América, a bordo de um aparelho da Southwest Airlines. A explosão de um dos motores do avião danificou uma das janelas do aparelho, que teve de operar uma operagem de emergência em Filadélfia. A ocorrência causou ainda sete feridos.

Uma mulher morreu na sequência da explosão de um dos motores de um avião da companhia norte-americana Southwest Airlines. O incidente ocorreu em pleno voo, durante uma ligação entre Nova Iorque e Dallas. De acordo com as agências internacionais, a vítima, de 43 anos, terá sido parcialmente sugada por uma janela danificada pelos estilhaços da explosão.

Robert Sumwalt, Presidente do Conselho para a Segurança nos Transportes Nacionais, adiantou numa conferência de imprensa que o incidente aconteceu cerca de vinte minutos depois do aparelho ter descolado do Aeroporto de La Guardia, em Nova Iorque: “Enquanto se preparavam para regressar à pista corrigiram a informação dada à torre de controlo, de que tinha deflagrado um voo a bordo, mas esclareceram que estavam a viajar com um único motor. A tripulação adiantou ainda que parte do motor estava em falta. Mais ou menos no mesmo área em que o incidente se deu, alguém encontrou um motor da Southwest Airlines na zona de Bernville, Pensilvânia, cerca de 70 milhas a noroeste de onde nos encontramos”, disse o responsável, citado pela agência Reuters.

Identificada pela agência Reuters como sendo Jennifer Riordan, a mulher é a primeira vítima mortal de um acidente de aviação nos Estados Unidos da América envolvendo uma companhia norte-americana em quase uma década.

Um dos motores do Boeing 737, que transportava 149 pessoas, teré explodido quando a aeronave se encontrava a 32 mil pés de altitude, obrigando o aparelho a proceder a uma aterragem de emergência em Filadélfia. Para além da vítima mortal, o incidente provocou ainda sete feridos:  “Estamos a encarar esta ocorrência com muita seriedade. Este acidente não deveria ter acontecido e queremos perceber porque razão aconteceu, de forma a apurar que tipo de medidas preventivas podem ser aplicadas”, assegurou ainda Sumwalt.

De acordo com o director executivo da Southwest Airlines, Gary Kelly, o avião não evidenciou qualquer problema na inspecção a que foi sujeito no passado domingo. O aparelho já conta com mais de 40 mil descolagens desde que entrou ao serviço da empresa, em Julho de 2000. O avião já fez, no entanto, mais de dez mil descolagens desde a última revisão geral a que foi submetido.

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.