Suiça disse “sim” à proibição do véu integral

O eleitorado suiço aprovou no domingo em referendo, com 51,2 por cento dos votos a favor, a proibição do uso de véu integral. Os proponentes da iniciativa dizem que a medida visa combater o islamismo radical, mas outros consideram a proposta agora aprovada xenófoba e sexista.

Os resultados, avançados este domingo pelo Governo federal helvético, indicam que a iniciativa que proíbe o uso de peças de vestuário que possam cobrir integralmente o corpo venceu com 51,2 por cento dos votos, tendo o “sim” sido a opção vitoriosa na maioria dos cantões suíços.

Ainda que o texto da iniciativa não mencione claramente o tipo de vestuário que se pretende proíbir, durante a campanha ficou claro que visa o uso da burca – uma peça de vestuário que cobre todo o corpo, apenas com uma abertura rendilhada nos olhos, usado por algumas mulheres muçulmanas – bem como do niqab, que é semelhante à burca, mas sem a parte rendilhada.

A medida foi proposta pelo partido de direita UDC (Union Demócratique de Centre, ou União Democrática do Centro, em tradução livre) e contou com o apoio de grupos feministas e por um sector dos eleitores da esquerda laica.

Citado pela agência noticiosa AFP, o presidente da UDC, Marco Chiesa, congratulou-se pelo resultado, afirmando que não quer “o islamismo radical” no país.

A Suíça junta-se assim à França, à Áustria, à Bulgária, à Bélgica e à Dinamarca, países que já aprovaram iniciativas semelhantes.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.