Tailândia. Manifestantes marcham em direcção a quartéis

Milhares de manifestantes tailandeses marcharam ontem contra o governo em direcção  a vários aquatelamentos militares. O protesto, que decorreu no domingo, serviu para desafiar o controlo, exercido a título pessoal pelo rei Maha Vajiralongkorn, sobre algumas unidades do Exército.

Foi o mais recente acto de desafio contra o monarca por parte dos manifestantes, que continuam a quebrar tabus ao criticar a monarquia. A constituição da Tailândia diz que a monarquia deve ser reverenciada e as leis proíbem insultos contra a instituição.

Manifestantes, muitos carregando patos insufláveis, que se tornaram uma mascote dos protestos, pararam nos portões do 11º Regimento de Infantaria, parte da Guarda do Rei que teve um papel importante na repressão aos protestos de 2010. Barreiras policiais bloquearam os manifestantes no portão.

“Nenhum país democrático tem o rei no controlo do Exército. Em qualquer país democrático com um rei como chefe de Estado, as Forças Armadas respondem ao governo”, disse Arnon Nampa, advogado e líder dos protestos que tem sido um crítico frequente da monarquia. “Temos visto a monarquia expandir os seus poderes. É por isso que estamos aqui” , considerou ainda.

O Palácio Real não fez comentários desde que os protestos começaram, mas o próprio rei afirmou recentemente que os manifestantes continuam a ser “amados”, apesar das suas acções.

Os manifestantes acusam a monarquia de permitir décadas de domínio militar. Houve 13 golpes de Estado desde 1932, quando o governo absoluto da monarquia chegou ao fim.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.