Macau. Recipientes de esferovite proibidos a partir de 1 de Janeiro

A importação e o trânsito de utensílios e recipientes de mesa descartáveis de esferovite vão ser proibidos a partir do primeiro dia do próximo ano, foi esta segunda-feira anunciado. A iniciativa tem por objectivo diminuir o recurso a materiais poluentes por parte da população e contribuir para a melhoria do ambiente no território.

A proibição dos recipientes de esferovite, que entra em vigor a 1 de Janeiro de 2021, abrange caixas para comida, tigelas, copos e pratos de esferovite, de acordo com um despacho assinado pelo chefe do Executivo, Ho Iat Seng, hoje publicado no Boletim Oficial.

O relatório sobre a saúde ambiental do território relativo a 2019 indicou que Macau produziu 550.249 toneladas de resíduos sólidos urbanos ao longo do ano passado. Trata-se de um aumento de 5,3 por cento em relação a 2018.

Em 2019, a quantidade diária de resíduos sólidos urbanos descartados pela população de Macau foi de 2,24 quilogramas ‘per capita’, um valor que é 3,2 por cento superior ao registado em 2018.

De acordo com o mesmo documento, “verificaram-se aumentos em diversos graus nas quantidades de resíduos alimentares, de plástico, de metais e de vidro recolhidas”. As autoridades reciclaram mais 21,7 por cento de plástico em comparação com o valor relativo a 2018. Há um ano, as autoridades impuseram o pagamento de uma pataca por cada saco plástico de uso único, dispensado pelos supermercados ou pelos estabelecimentos de restauração.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.