Tufões. IACM promete atenção reforçada aos espaços verdes

O organismo anunciou esta sexta-feira a criação de duas novas equipas de intervenção, responsáveis por gerir o impacto dos tufões nos jardins e áreas arborizadas de Macau. Os organismos deverão assegurar a limpeza das ruas, dos jardins e dos parques públicos logo após os sinais de tempestade tropical terem sido recolhidos.

O Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais anunciou esta manhã a criação de duas equipas especiais de intervenção responsáveis por acompanhar o impacto das tempestades tropicais nos jardins e zonas arborizadas de Macau antes, durante e imediatamente após a passagem de tufões pelo território.

Constituídas por dez elementos cada, os dois novos organismos entram em acção logo após o sinal três de tempestade tropical ser içado. As duas equipas serão responsáveis por conduzir uma primeira avaliação aos estragos sofridos pela cobertura vegetal do território e de proceder à limpeza das áreas afectadas, com a prioridade a ser dada à desobstrucção das ruas: “Relativamente aos trabalhos durante a passagem dos tufões, na verdade temos duas equipas que vão conduzir esses trabalhos: uma em Macau e outra nas ilhas. Em princípio, quando foi içado o sinal número oito ninguém trabalha, porque temos de garantir a segurança dos nossos funcionários”, assegurou Ao Ieong Un Fong, da Divisão de Parques e Jardins do IACM.

A constituição dos dois novos organismos, que vão operar um na península de Macau e o outro nas ilhas da Taipa e de Coloane, tem por objectivo garantir que os equipamentos urbanos na dependência do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais estejam operacionais o mais depressa possível após a passagem de tempestades tropicais pelo território. Nos casos em que o sinal 8 é içado, os parques e jardins públicos do território devem reabrir nas 24 horas subsequentes à passagem do tufão. O período para a reabertura dos equipamentos público é de 72 horas se o sinal içado for igual ou superior a nove: “ Depois de baixa o sinal número 8, nós vamos procurar reabrir os espaços verdes num período de 24 horas, consoante o impacto concreto provocado pela tempestade”, explicou Chan Weng Sam, da Divisão de Estudos e Conservação da Natureza.

Os responsáveis pelo Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais adianta que os vinte elementos que dão corpo às duas equipas têm vindo a receber formação específica para responder com maior eficácia ao impacto dos tufões. O organismo, que recentemente adquiriu uma centena de moto-serras, diz que os funcionários do IACM  que trabalham nas divisões de áreas protegidas e de parques e jardins participaram em várias acções de formação desde que o tufão Hato fustigou, com consequências catastróficas, o território a 23 de Agosto do ano passado.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.