Jockey Club compromete-se a saldar dívida em três anos

A Companhia de Corridas de Cavalos de Macau comprometeu-se, junto do Governo, a saldar todos os montantes em dívida num período de três anos. No entender do Governo, o Jockey Club, que se compromete a investir 1500 milhões de patacas na melhoria das instalações, pode ajudar a RAEM a afirmar-se como um “Centro Mundial de Turismo e Lazer”.

O contributo dado à afirmação de Macau como um “Centro Mundial de Turismo e Lazer”. É com esta premissa que o Governo justifica a prolongamento do contrato de concessão da exploração de corridas de cavalo, em regime de exclusividade, à Companhia de Corridas de Cavalos de Macau, SARL. O Executivo renovou até 31 de Agosto de 2042 os direitos da empresa de agir como o único concessionário de corridas de cavalo no território.

A empresa, ligado ao universo do magnata do jogo Stanley Ho, comprometeu-se a investir 1500 milhões de patacas na melhoria das instalações e no desenvolvimento de outro tipo de actividades que não necessariamente as apostas e o jogo. Num comunicado publicado durante a última noite, o Governo garante, no entanto, que o Macau Jockey Club vai continuar sob escrutínio: o Executivo exige que a Companhia de Corridas de Cavalos de Macau restitua todos os montantes em dívida num período de três anos e realize “o capital estabelecido dentro do prazo estipulado para a prorrogação do contrato, sob pena de suspensão dos efeitos do mesmo”, sustenta o Gabinete do Porta-Voz do Governo em comunicado.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.