Macau. Global Times acusa “alguns portugueses” de “complexo de suserano”

Fotografia: Tonynetone/Creative Commons

O jornal Global Times, uma das vozes do Partido Comunista Chinês, acusou esta sexta-feira “alguns portugueses” de terem “complexo de suserano”. As acusações, feitas num editorial publicado no tablóide, surgem na sequência das críticas sobre as exigências feitas em medados de Março aos jornalistas do Canal Macau, o canal em língua portuguesa da TDM.

“Os assuntos de Hong Kong são assuntos internos da China. Macau, obviamente, não é exceção”, escreveu o Global Times, publicação do grupo do Diário do Povo, o órgão central do Partido Comunista Chinês. “Alguns portugueses, no entanto, ainda parecem ter um complexo de suserano”, considera.

O jornal refere ainda as declarações feitas por Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, que lembrou que a Declaração Conjunta Sino-Portuguesa, na qual o direito à liberdade de imprensa está inscrito, tem um carácter vinculativo. O Global Times escreveu ainda que 150 jornalistas portugueses assinaram uma carta aberta em apoio aos meios de comunicação de Macau e que alguns políticos, nomeadamente do Bloco de Esquerda, questionaram o Governo português sobre o que pretende fazer em relação ao alegado posicionamento da República Popular da China.

O editorialista do Global Times refere-se ainda à demissão de um grupo de jornalistas portugueses que se encontravam ao serviço da emissora em língua portuguesa da Rádio Macau. A posição do deputado pró-democracia Sulu Sou, que defendeu a autonomia dos meios de comunicação da região semiautónoma chinesa, também é evocada no artigo: “Todo este tipo de operações familiares faz as pessoas pensar que se trata do Reino Unido”, acusou o jornal, referindo-se às medidas britânicas face à crescente influência do regime chinês na Região Administrativa Especial de Hong Kong.

“Alguns analistas, porém, puseram água na fervura, lembrando que Portugal é apenas um pobre colono, sem capacidade para fazer a diferença”, afirmou o Global Times.

A posição do Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, que disse que o Governo português “espera e conta” que a China cumpra a Lei Básica de Macau, “é tudo o que Portugal” pode fazer, realça também o jornal.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.