EUA. Antigo Ministro da Defesa do México detido por narcotráfico

O antigo ministro da Defesa Nacional do México Salvador Cienfuegos (2012-2018) foi detido no aeroporto de Los Angeles, na Califórnia – anunciou o Ministro dos Negócios Estrangeiros mexicano, Marcelo Ebrard.

Segundo a acusação apresentada pelo Ministério Público, Cienfuegos foi acusado perante um tribunal de Nova Iorque por três crimes de narcotráfico, e um, de lavagem de dinheiro, entre 2015 e 2017, quando era membro do gabinete.

O Ministério Público afirma que Cienfuegos “conspirou para produzir e distribuir” nos Estados Unidos heroína, metanfetaminas, cocaína e cannabis entre Dezembro de 2015 e Fevereiro de 2017.

As acusações contra este general, às vezes apelidado de “El Padrino”, datada de 14 de Agosto de 2019, foi divulgada apenas esta sexta-feira.

Numa conferência de imprensa matutina, o presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, afirmou que “é muito lamentável que um antigo secretário da Defesa seja detido acusado por vínculos com o narcotráfico” e assegurou que não há investigação alguma contra Cienfuegos no México.

Obrador explicou que, há duas semanas, a embaixada do México nos Estados Unidos já o tinha informado sobre a investigação contra Cienfuegos.

O líder esquerdista também alertou que os possíveis envolvidos com Cienfuegos que continuam activos no Exército “serão suspensos, retirados e, se for o caso, colocados à disposição das autoridades competentes”.

Dez anos de investigação

A imprensa mexicana informou que Cienfuegos, de 72 anos, foi detido pelas autoridades americanas ao desembarcar no país com a família.

O Ministério Público mexicano não respondeu aos pedidos de informação sobre se Cienfuegos, general na reserva, era investigado no México, ou nos Estados Unidos.

O “Wall Street Journal” informou no seu portal electrónico que o antigo ministro mexicano foi detido “a pedido da DEA”, a agência que luta contra as drogas nos Estados Unidos da América, e citou como fontes “altos funcionários mexicanos”.

Mike Vigil, antigo chefe de operações internacionais da DEA e que esteve mais de uma década no México, disse à AFP via telefone que soube de “rumores” sobre um possível vínculo de Cienfuegos com o crime organizado, mas sem elementos suficientes para o acusar.

A revista mexicana “Proceso” revelou que a detenção foi “resultado de uma investigação de corrupção por narcotráfico de vários anos, por parte do Departamento de Justiça” dos Estados Unidos da América.

De acordo com a revista, que cita fontes do Departamento de Justiça americano, “há pelo menos dez anos, antes de Cienfuegos assumir a Secretaria de Defesa”, que os seus passos eram investigados no país.

Outros comandantes do Exército mexicano também começaram a ser investigados quando a Justiça dos Estados Unidos “começou a compilar provas para fundamentar os processos de narcotráfico contra Joaquín Chapo Guzmán Loera”, conhecido como “El Chapo, afirma a publicação.

“El Chapo”, um dos líderes do cartel de Sinaloa, foi extraditado em 2017 para os Estados Unidos da América, onde foi condenado à prisão perpétua.

Cienfuegos comandou a Secretaria da Defesa durante o governo do presidente Enrique Peña Nieto, do outrora hegemónico Partido Revolucionário Institucional (PRI).

A sua detenção nos Estados Unidos da América é a segunda de um antigo membro desta administração.

Acusado de conspiração para traficar ao menos 53 toneladas de cocaína para os Estados Unidos, o antigo secretário de Segurança Pública do México Genaro García Luna foi detido em Dallas (Texas), em Dezembro de 2019, e está preso em Nova Iorque. O próprio Peña Nieto enfrenta acusações de corrupção.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.