Regeneron diz que primeiros testes para tratamento contra a Covid foram positivos

A empresa norte-americana de biotecnologia Regeneron afirmou esta terça-feira que o seu cocktail de anticorpos contra o coronavírus reduz a carga viral e o tempo de recuperação dos pacientes não hospitalizados numa fase inicial do tratamento.

“Estamos muito animados com a natureza robusta e consistente destes dados iniciais”, disse George Yancopoulos, presidente e director científico da empresa. “Começamos a discutir as nossas descobertas com as autoridades regulatórias à medida que damos continuidade aos nossos testes”, acrescentou.

Os resultados dizem respeito aos primeiros 275 pacientes recrutados para o estudo de fase 1 dos testes da Regeneron.

Os pacientes foram aleatoriamente designados para receber uma dose baixa, uma dose alta ou um placebo do fármaco e também foram classificados de acordo com a resposta positiva ou negativa dos anticorpos por eles gerados.

O maior benefício do tratamento tem ocorrido em pacientes que não geraram uma resposta imunitária eficaz, o que sugere que a droga, conhecida como REGN-COV2, poderia actuar como substituta na ausência dos anticorpos, que são gerados naturalmente, segundo Yancopoulos.

A Regeneron disse que tenciona recrutar 1.300 pacientes para os próximos estágios do teste ambulatorial. A empresa também está a conduzir simultaneamente estudos de fase tardia para pacientes de covid-19 hospitalizados e para uso potencial do medicamento a título profilático.

Os anticorpos são proteínas de combate a infecções produzidas pelo sistema imunológico que podem ligar-se a estruturas específicas na superfície dos patógenos e impedir que eles invadam as células.

As vacinas ensinam o corpo a produzir os seus próprios anticorpos, enquanto os cientistas testam ainda anticorpos já produzidos com o sangue de pacientes recuperados, denominado de plasma convalescente. No entanto, não é possível fazer um tratamento de plasma convalescente em grande escala.

Os pesquisadores também podem examinar os anticorpos produzidos por pacientes recuperados e selecionar os mais eficazes entre milhares e, então, fabricá-los em maior escala.

A Regeneron utiliza uma estratégia multicorpos para diminuir as possibilidades de o vírus vir a sofrer mutações para evitar a acção bloqueadora de um único anticorpo, uma abordagem que a empresa detalhou num estudo recente publicado na revista Science.

No ano passado, um cocktail de anticorpos triplo desenvolvido pela Regeneron mostrou-se eficaz contra o vírus Ebola.

Ainda nesta terça-feira, a empresa de biotecnologia Moderna, uma das líderes na corrida por uma vacina contra a covid-19, divulgou os resultados de seu ensaio clínico de fase 1, segundo o qual a vacina é segura e gerou forte resposta imunológica entre um grupo de 40 adultos mais velhos.

A fase 3 da Moderna, última etapa anterior à aprovação, também está em andamento e os primeiros resultados poderão ser divulgados até o fim do ano.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.