Primeiro paciente que recuperou do HIV morre vítima de leucemia

O americano Timothy Ray Brown, conhecido como o “paciente de Berlim”, que em 2008 se tornou a primeira pessoa a ser curada do HIV, faleceu aos 54 anos, vítima de cancro, anunciou esta quarta-feira a Sociedade Internacional da SIDA.

“Nos últimos seis meses, Timothy passou por uma recaída da leucemia, que afectou sobretudo o cérebro, mas permaneceu protegido do vírus HIV”, destacou a Sociedade num um comunicado.

O seu companheiro tinha anunciado na semana passada que Timothy estava em fase terminal: “O Timothy não está a morrer de HIV, quero que fique claro”, disse Tim Hoeffgen, em declarações ao blogue do escritor e activista Mark King.

Ray Brown escreveu uma página da história médica da Sida. Em 1995, quando morava em Berlim,  soube que tinha sido contaminado com o vírus HIV. Em 2006 foi diagnosticado com leucemia.

Para tratar a leucemia, o seu médico da Universidade Livre de Berlim usou um transplante de células-estaminais de um doador que tinha uma mutação genética rara que lhe deu uma resistência natural ao HIV, na esperança de curar as duas doenças.

Foram necessários dois procedimentos dolorosos e de alto risco, mas o resultado foi um sucesso: em 2008, Brown foi declarado livre quer da SIDA, quer do cancro.

Quando o avanço médico foi anunciado, Ray Brown foi apresentado como o “paciente de Berlim”  numa conferência médica, com o propósito de salvaguardar o seu anonimato. Dois anos mais tarde, Timothy decidiu quebrar o silêncio e tornar-se uma figura pública, concedendo entrevistas e participando em conferências: “Sou a prova viva de que pode haver cura para a Sida”, disse à AFP em 2012.

Desde então, apenas outra cura, em Março de 2019, foi anunciada graças ao mesmo método: o “paciente de Londres”, que também acabou por revelar a sua identidade, Adam Castillejo.

A complexidade e os riscos associados ao tratamento com o transplante de células-estaminais impedem a generalização, sobretudo porque os antirretrovirais permitem em geral que o paciente tenha uma vida normal com o HIV.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.