Treze pessoas espezinhadas em festa ilegal na capital peruana

As autoridades peruanas condenaram o dono de uma boate depois de pelo menos 13 pessoas morreram espezinhadas ou asfixiadas enquanto os clientes do estabelecimento tentavam sair de uma festa encerrada pela polícia por violar as restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus.

Pelo menos seis pessoas ficaram feridas, incluindo três agentes das forças de segurança, quando cerca de 120 clientes tentaram escapar do clube Thomas Restobar no distrito de Los Olivos, em Lima, na noite de sábado. A polícia chegou para interromper o evento, que tinha sido denunciado por vizinhos, disseram a polícia nacional e as autoridades governamentais.

As pessoas ficaram presas entre a única porta de entrada e uma escada que conduzia à rua, disseram as autoridades.

O Peru ordenou o encerramento de bares e de discotecas em março e proibiu reuniões de família a 12 de Agosto para combater o que é o segundo maior índice de infecção de Covid-19 da América Latina, de acordo com uma contagem da Reuters. Um toque de recolher aos domingos também se encontra em vigor.

O Ministério do Interior atribuiu as mortes à “irresponsabilidade criminosa de um empresário sem escrúpulos” num comunicado.

A ministra da Mulher do Peru, Rosario Sasieta, pediu penalidades severas para os responsáveis do clube que organizaram o evento.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.