Israel volta a impôr restrições para travar propagação da pandemia

Devido ao crescente número de novos casos da COVID-19, o governo israelita decidiu restabelecer, a partir desta sexta-feira, novas medidas pontuais de contingência, especialmente durante os fins de semana, a fim de “evitar que o confinamento geral seja decretado”.

De sexta-feira à noite até domingo pela manhã, e até novo aviso, “lojas, desde que consideradas consideradas não essenciais, centros comerciais, salões de beleza, bibliotecas, Jardins Zoológicos, museus, piscinas, atracções turísticas e marginais estarão fechados”, anunciaram o gabinete do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e do ministro da Saúde, num comunicado.

Os restaurantes devem limitar-se à venda de comida ao domicílio nos dias úteis. Os ginásios vão permanecer fechadas até que novas indicações sejam emitidas pelo Executivo israelita.

Sexta-feira corresponde ao início da paragem semanal do “Sabbat”, o dia de descanso para os judeus, e muitos restaurantes costumam estar fechados. O domingo pauta o reinício da semana em Israel.

Não haverá restrições de movimento para quem quiser sair de casa, mas as praias estarão  fechadas a partir de 24 de Julho, acrescenta o comunicado.

“Qualquer violação dessas restrições será considerada um crime”, afirma o Governo.

Com nove milhões de habitantes, Israel registou oficialmente 46.059 casos do novo coronavírus até ao momento. Quase quatrocentos – 384 – acabaram por se revelar fatais.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.