Estupefacientes. Macau branqueou dinheiro de redes de narcotráfico da Galiza

Macau, o Luxemburgo e as Bahamas estão entre os paraísos fiscais a que terão recorrido redes de narcotráfico galegas para branquear pelo menos 10 milhões de euros. A investigação envolve 24 suspeitos e 14 empresas e entre eles estão sociedades e colaboradores do território.

A autoridade tributária e aduaneira espanhola desmantelou uma rede de lavagem de capitais resultantes de tráfico de estupefacientes que utilizava empresas em paraísos fiscais, como Macau, Luxemburgo e Bahamas e bancos em Portugal, Andorra e Suíça, noticiaram esta sexta-feira meios de comunicação social espanhóis.

A imprensa ‘online’ da Galiza noticia que a operação de desmantelamento da rede continua aberta, estando em causa a lavagem de 10 milhões de euros procedentes do narcotráfico.

A organização ilícita realizava as suas operações nas comunidades espanholas da Galiza e das Astúrias e empregava várias sociedades em territórios “offshore” para ocultar o seu património.

A investigação envolve 24 suspeitos e 14 empresas, o que inclui sociedades e colaboradores em Macau, Luxemburgo e Bahamas, assim como entidades bancárias de Portugal, Andorra e Suíça.

De acordo com a imprensa espanhola, a “Operação Zebra” está a ser conduzida por um juiz de instrução de Lugo (Galiza) e conta com a colaboração do Ministério Público de Lisboa, Genebra e Andorra.

O dinheiro de origem ilícita era colocado nas contas no exterior e, posteriormente, a rede fazia-o regressar a Espanha usando várias técnicas de lavagem de capitais para o investir em vários bens.

A organização também utilizava um sistema de compra de números da lotaria premiada, método que lhe permitiu branquear 370.000 euros de origem também ilícita.

Durante a investigação também foram localizados mais de 40 imóveis em cidades como Oviedo, Marbella e Lugo que estavam em nome de alguns dos suspeitos e, noutros casos, de empresas.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.