Costa Nunes: Direcção justifica cautela com “natureza sensível” das acusações

A direcção do Jardim de Infância D. José da Costa Nunes justifica a cautela com que abordou as denúncias de alegado abuso sexual com a natureza sensível das acusações feitas pelos encarregados de educação. Os responsáveis pelo organismo vão abrir um processo disciplinar para apurar responsabilidades e prometem um maior investimento em termos de recursos humanos, nomeadamente no que toca ao domínio do acompanhamento psicológico das crianças que frequentam a escola.

No relatório que ontem fizeram chegar à Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, a Direcção da APIM e do Jardim de Infância D. José da Costa Nunes reiteram os factos já conhecidos, mas justificam a cautela na resposta às denúncias efectuadas por três encarregados de educação  com o carácter sensível das acusações.

Um tratamento precipitado das queixas,  consideram no documento os responsáveis pela gestão do infantário, poderia ser detrimental para as crianças e para o pessoal escolar e poderia ser mal visto por encarregados de educação, sustenta a direcção do infantário de matriz portuguesa.

Apesar de só a 8 de Maio ter agido, com a suspensão do funcionário suspeito de perpetrar os alegados abusos, a direcção da Escola garante que foram tomadas diligências logo a partir de 24 de Abril, dia em que Marisa Peixoto terá tomado conhecimento das acusações. A própria directora da Escola aumentou a frequência das visitas às salas e terá determinado um prazo para voltar a discutir a questão com a educadora responsável pela turma que terá sido visada pelo autor dos alegados abusos.

O relatório entregue à Direcção dos Serviços de Educação e Juventude inclui ainda um leque de medidas que o estabelecimento de ensino pré-primário se propõe implementar a curto,médio e longo prazo.

A curto prazo, a prioridade vai para a prestação de apoio e acompanhamento aos alunos e encarregados de educação afectados, mas também para a condução de um processo disciplinar com o objectivo de apurar responsabilidades e a extensão de eventuais ocorrências e danos.

A longo prazo, a Direcção do Jardim de Infância D. José da Costa Nunes propõe reforçar os mecanismos de comunicação internos, para garantir uma maior transparência na comunicação com pais e encarregados de educação. O estabelecimento de ensino vai ainda reforçar a preparação de docentes e agentes de ensino através de acções de formação e anunciou ainda a intenção de reforçar os recursos humanos, nomedamente a nível administrativo e no domínio do aconselhamento escolar e psicológico.

A direcção do infantário de matriz portuguesa compromete-se ainda a reforçar as estratégias de segurança interna, com a ampliação das áreas abrangidas pelo sistema de videovigilância, bem como com a revisão dos procedimentos relacionados com as saídas dos alunos.

Esta tarde, a Polícia Judiciária confirmou ao canal Macau que não recebeu mais denúncias relacionadas com o caso. A polícia de investigação do território está a investigar sete queixas por alegados abusos de natureza sexual perpetrados por um funcionário do Jardim de Infância.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.