Índia. Activistas acusam o Governo de querer privatizar o Taj Mahal

Em causa está um programa lançado pelo Executivo de Narendra Modi que prevê que os grandes grupos económicos do país possam adoptar monumentos. Em contrapartida, as empresas vão poder instalar publicidade nos imóveis adoptados e fixar os preços de entrada que bem entenderem.

Activistas de organizações indianas de defesa do património acusaram neste domingo (29) o Executivo de Nova Deli de tentar privatizar relíquias históricas como o Taj Mahal. Os protestos surgiram depois do Governo ter lançado um controverso projecto para permitir que companhias “adoptem” dezenas de monumentos.

A oposição acusou o gabinete do primeiro-ministro, Nerendra Modi, de “alugar” monumentos através do programa “Adopte o Património”. A iniciativa prevê que 95 locais históricos passem a ser geridos por empresas privadas.

O ministério do Turismo indiano anunciou no sábado um contrato de cinco anos, por 250 milhões de rupias (3,7 milhões de dólares)com o conglomerado Damia Bharat para que a empresa assuma a gestão do Forte Vermelho de Deli, construído no século XVII e Património Mundial da UNESCO e ainda de um outro forte no estado de Andhra Pradesh.

A lista inclui outros monumentos significativos, como o Taj Mahal – pelo qual competem dois grupos – e o complexo Qutub Minar de Dhéli, do século XII, também eles Património Mundial.

De acordo com o projecto, o conglomerado Dalmia Bharat poderá instalar publicidade, fixar preços de entradas e ganhar dinheiro com a exploração do espaço, ainda que sob a supervisão do Governo.

Mas os críticos da iniciativa consideram-na uma forma de privatizar os locais e exigiram que, ao invés de alienar o património, se aumentem os fundos para o conservar: “Por que razão é que o devemos alugar? Hoje é um dia triste e sombrio na nossa história”, defendeu Mamata Banerjee, ministro principal do estado de Bengala Ocidental na rede social Twitter.

A historiadora e activista Rana Safvi alertou para o facto de os mecanismos de acompanhamento propostos pelo Governo ainda não estarem bem definidos. A Índia abriga cerca de 3.700 monumentos históricos, 31 dos quais integram a lista de Património Mundial da UNESCO.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.