Leão asiático. Uma espécie às portas da salvação

Contam-se pelos dedos os esforços bem sucedidos de conservação de espécies ameaçadas, mas da Índia chega uma história de sucesso. A população do leão asiático, que vive confinada a uma floresta do noroeste da Índia, cresceu 50 por cento num período de oito anos. A espécie deixou de integrar a lista das espécies em risco crítico de extinção compilada pela União Internacional para a Conservação da Natureza.

Os esforços desencadeados com o propósito de proteger um dos felinos do continente asiático mais ameaçados de extinção – o leão da Ásia – começam a dar resultados. De pouco mais de meio milhar em 2015, a população da espécie aumentou para mais de seis centenas de exemplares, anunciou recentemente o ministro-chefe do estado indiano do Gujarat, Vijay Rupani.
O animal, que era ubíquo em quase todo do Sudoeste Asiático, só sobrevivem em estado selvagem no noroeste da Índia, mais concretamente no Parque Nacional de Gir. No final da década de 1960, os leões da Ásia eram pouco mais de 180 e não foram poucos os biólogos e activistas que redigiram, em tom catastrófico, o epitáfio da espécie. O esforço desenvolvido pelas autoridades indianas desde o início do novo século começa a dar frutos evidentes: a população de leões asiáticos passou dos 400 animais, em 2010, para o meio milhar em 2015, fazendo com que a União Internacional para a Conservação da Natureza reduzisse o grau de vulnerabilidade da espécie, que animal “em perigo crítico de extensão” passou a ser considerado “animal em perigo de extinção”.
De acordo com Vijay Rupani, um censo não oficial recentemente conduzido coloca o número de leões em mais 600 no Parque Nacional de Gir, contra os 523 contabilizados em 2015: “Os esforços que desenvolvemos para proteger os leões com a ajuda da população local alcançaram bons resultados. O número de leões no estado do Gujarat ultrapassou a barreira dos 600”, disse o responsável, citado pela AFP.

As autoridades do estado do Gujarat estimam que a população do leão asiático seja sensivelmente superior aos 600 espécimes.

Actualmente, o ritmo de expansão da população de leões da Ásia é de quase dois por cento ano ano, de acordo com as estimativas conduzidas por A.P.Singh, um responsável pelo departamento de conservação de espécies selvagens do Parqua Nacional de Gir.
Os leões da Ásia são aparentados ao leão africanos – as duas espécies existirão há mais de cem mil anos – mas são ligeiramente mais pequenos. Os animais têm também no ventre um padrão característico que não é partilhado pela subespécie que tem como habitat as savanas africanos. Vistos como um símbolo regional, os leões do Parque Nacional de Gir tornaram-se um dos principais motivos de atracção do Gujarat.
Um responsável pelo gabinete estadual de conservação da vida selvagem, Priyavrat Gadhvi, sublina a eficácia dos progrmas estabelecidos, que juntam num mesmo desígnio veterinários e pessoal qualificado. A iniciativa conta com o apoio das populações locais: “O envolvimento activo da população que habita na zona do Parque Nacional de Gir é enorme. Toda a população do Gujarat mostra tolerância para com os leões, mesmo quando os rebanhos são atacados”, referiu o responsável. Gadhvi espera que o número de leões cresça de forma “regular” ao longo dos próximos dois anos. A próxima acção de recenseamento está prevista para 2020.
Os especialistas sugerem igualmente o transporte de alguns espécimes para um outro santuário com o propósito de reduzir a possibilidade de conflito com os humanos, bem como os riscos decorrentes de epidemias ou de desastres naturais.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.