Covid-19. Ho Iat Seng descarta medidas de incentivo à vacinação

Fotografia: Macau Photo Agency/Unsplash

O chefe do Executivo, Ho Iat Seng, garantiu esta terça-feira que, por enquanto, o governo não tenciono implementar qualquer medida de incentivo à vacinação, com o objectivo de acelerar o processo de imunização da população do território. O líder do governo também reafirmou que a vacinação vai continuar a ser feita de forma voluntária, afastando terminantemente a possibilidade do processo de imunização se poder vir a tornar obrigatório.

Em declarações prestadas à imprensa à margem da cerimónia de inauguração do renovado Museu do Grande Prémio de Macau, Ho Iat Seng salientou, uma vez mais, que o número de doses das vacinas anti-Covid que o governo adquiriu é suficiente para fazer frente às necessidades dos residentes do território. O chefe do Executivo lembrou que a população de Macau é, em certa medida, privilegiada, uma vez que a escassez de vacinas é uma dor de cabeça generalizada noutros pontos do planeta, uma tendência a que nem a própria República Popular da China escapa.

Ho Iat Seng voltou a fazer um apelo à população, exortando os residentes a serem vacinados, permitindo, desse modo, que Macau seja um dos primeiros territórios a nível mundial a alcançar a imunidade colectiva.

Apesar de considerar que a vacinação da população constituiu uma prioridade e um procedimento sine qua non será possível acelerar a retoma económica, Ho Iat Seng reiterou que as vacinas só serão administradas a título voluntário e afastou a possibilidade do processo se poder vir a tornar mandatório. O líder do Governo deixou ainda claro que, por agora, o Executivo não tenciona lançar quaisquer medidas de incentivo para encorajar os residentes reticentes a serem vacinados. Ho lembrou, no entanto, que estudos conduzidos em todo o mundo mostram que quanto mais alta for a taxa de vacinação, maior será a possibilidade de um país ou território controlar a evolução da pandemia.

Ho Iat Seng deixou ainda claro que o Governo não tenciona forçar ou intimar os funcionários públicos a serem vacinados. O chefe do Executivo mostrou-se convicto de que os trabalhadores do erário público estão alinhados com as políticas governamentais de saúde pública.

O líder do Governo mostrou-se satisfeito com os sinais enviados pela população de Macau no início da semana, quando foi registado um número recorde de marcações para obtenção da vacina. Ho Iat Seng revelou que vai pedir à Direcção dos Serviços de Saúde que estenda o horário de funcionamento das instalações onde a vacina é administrada, para que os residentes se possam vacinar.

De acordo com um comunicado emitido ao final da tarde desta terça-feira pelo Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, até às 16 horas de ontem, 177 950 doses da vacina anti-Covid tinham sido administradas a 112 559 pessoas, sendo que 46 390 receberam a primeira dose da vacina e 66 169 receberam a segunda.

Com os novos dados, a taxa de vacinação na RAEM atingiu os 16,4 por cento. De acordo com a nota de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência, um total de 15 eventos adversos foram comunicados à Direcção dos Serviços de Saúde entre segunda e terça-feira. O número total de eventos adversos desde o início da campanha de vacinação foi de 766, ou 0,43 por cento do número total de vacinas. Entre eles, estão três casos considerados graves.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.