Contas de Vidro valem a Veneza reconhecimento da UNESCO

Veneza celebrou na quinta-feira a decisão da UNESCO de incluir a arte das contas de vidro na sua lista do Património Imaterial da Humanidade e expressou esperança de que a distinção possa ajudar os artesãos, que estão a passar por uma crise profunda devido à pandemia.

“É com muito orgulho que recebemos este prestigioso e significativo reconhecimento”, garantiu à imprensa o autarca da cidade, Luigi Brugnaro, depois de receber a notícia.

A arte das contas de vidro é uma das mais valias dos artesãos da ilha de Murano, onde o vidro é fabricado há séculos.

Os antigos venezianos contribuíram para o desenvolvimento do vidro e introduziram a filigrana, fios de vidro opaco e branco no vidro transparente, uma arte mundialmente conhecida que combina bom gosto e habilidade.

A candidatura foi apresentada conjuntamente pela Itália e França, lideradas pela Comunidade das Pérola de Veneza e pela Comunidade Pérola Francesa com o apoio dos Ministérios da Cultura de ambos os países.

As pérolas de vidro venezianas, pequenas e preciosas joias de rara beleza, existem em vários e múltiplos tipos. A produção de vidro segundo a técnica denominada “lume” (vidro fundido por uma chama em torno de uma haste de metal), é uma das mais antigas e permaneceu inalterada ao longo dos séculos.

Em Veneza, a produção das contas de vidro é documentada de forma rigorosa desde o século 14. Durante centenas de anos, foi considerada uma mercadoria preciosa para troca e exportação para a África, América e Índia.

Durante a crise de Murano no início do século XIX,  após a queda da Sereníssima República de Veneza, quando a procura por objectos de vidro caiu drasticamente, a produção de pérolas foi a única que continuou a florescer e expandir-se, salvando efectivamente a indústria de vidro veneziana.

A história das contas de vidro venezianas foi muitas vezes esquecida, já que os criadores geralmente são artesãos desconhecidos, ao contrário dos renomados mestres do vidro, autores de esculturas e de vasos nos famosos fornos de Murano.

As fábricas de vidro estão concentradas na ilha de Murano, depois de terem sido obrigadas mudar para lá em 1291 devido aos incêndios ocorridos nas zonas mais centrais da cidade.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.