Nova Zelândia tenciona criar “bolha de viagem” com as ilhas Cook

A Nova Zelândia planeia criar uma “bolha” com as pequenas Ilhas Cook para impulsionar as permutas turísticas entre os dois territórios que conseguiram conter a disseminação do novo coronavírus, anunciou a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, na segunda-feira.

Ardern explicou que este corredor, que torna possível viajar sem que seja necessário submeter-se a quarentena, só se torna possível graças aos bons resultados de ambos os países na luta contra o novo coronavírus.

“Esperamos que  possa ser implementado antes do final do ano”, disse Arden aos jornalistas, sublinhando que é preciso ter cautela.

A Nova Zelândia registou apenas 22 mortes pelo novo coronavírus e já se passaram mais de 100 dias desde que foi registado qualquer caso de transmissão local da doença. As Ilhas Cook, porém, declararam-se livres do vírus em meados de Abril.

O pequeno arquipélago será, sem dúvida, o grande beneficiário da “bolha de viagem”. Ardern estima que 60 por cento das pessoas que viajavam para as Ilhas Cook antes da pandemia eram neozelandeses.

A prudência continua a ser mantida, já que numa fase inicial, a Nova Zelândia ainda cogitou a possibilidade de poder avançar para uma bolha de viagem com a Austrália. O projecto foi adiado indefinidamente em função da segunda vaga da epidemia com que se depara o território vizinho,

Actualmente, todas as pessoas que chegam à Nova Zelândia têm de cumprir uma quarentena de 14 dias.

Por outro lado, os neozelandeses levam uma vida quase normal, sem que tenham sido impostas medidas de distanciamento físico. O público voltou mesmo a ser de novo admitido em grandes eventos desportivos.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.