Cerimónia dos 20 anos do “handover” traz mais de meio milhar de jornalistas a Macau

Mais de 650 profissionais dos ‘media’ inscreveram-se para cobrir as actividades de celebração dos 20 anos da passagem da administração de Macau de Portugal para a China, disse esta sexta-feira à agência Lusa o Gabinete de Comunicação Social do território.

“Segundo os dados disponíveis, mais de 650 profissionais da comunicação social procederam à inscrição para a cobertura noticiosa das actividades celebrativas do 20º aniversário da Região Administrativa Especial de Macau”, indicou, em resposta à agência noticiosa portuguesa, o Gabinete de Comunicação Social de Macau.

A cobrir as atividades vão estar jornalistas de “Macau, da China interior, de Hong Kong, de Taiwan, de Portugal, do Japão, de Singapura, do Reino Unido, dos Estados Unidos e de França”, acrescentou. Entre os jornalistas oriundos de Portugal que se encontram no território para assegurar a cobertura das cerimónias está uma equipa da RTP que foi por duas vezes interrogada pelas autoridades do território esta semana.

A Região Administrativa Especial de Macau celebra 20 anos de existência no dia 20 de Dezembro e, até agora, as autoridades do território ainda não emitiram qualquer informação sobre o programa das actividades que inclui no dia 20 Dezembro a tomada de posse do novo Governo de Macau, liderado por Ho Iat Seng.

Vários órgãos de comunicação social têm apontado para a presença do Presidente chinês, Xi Jinping, contudo nem as autoridades de Macau, nem as do Governo Central, confirmaram a sua presença.

Portugal vai ser representado pelo cônsul-geral de Portugal em Macau, Paulo Cunha-Alves, confirmou na sexta-feira o Ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva.

Após mais de 400 anos sob administração portuguesa, Macau passou a ser uma região administrativa especial da China em 20 de Dezembro de 1999, com um elevado grau de autonomia acordado por um período de 50 anos, com elevado grau de autonomia, a nível Executivo, legislativo e judiciário, com o Governo central chinês a ser responsável pelas relações externas e defesa.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.