Executivo destaca “crescimento económico contínuo” no balanço a 2018

 O Governo entende que a manutenção de uma baixa taxa de desemprego, que o controlo da inflação e do fomento ao crescimento económico ao longo de nove trimestres consecutivos são razões suficientes para avaliar como positivo o desempenho do Governo ao longo do último ano. Chui Sai On apresentou esta tarde na Assembleia Legislativa os contornos gerais das Linhas de Acção Governativa para o próximo ano.

A manutenção da taxa de desemprego em dois por cento nos últimos seis anos e o desempenho económico positivo nos últimos nove trimestres foram alguns dos destaques do balanço de governação esta quinta-feira divulgado pelo Executivo.

O balanço das prioridades da acção governativa do ano de 2018 sublinha que “o crescimento contínuo da economia” pode ver-se na “taxa de inflação mantida num nível relativamente baixo [3,4 por cento], no “aumento, no terceiro trimestre [de 2018], da mediana dos rendimentos de trabalho mensais [1.756 euros]”, no desenvolvimento do sector do jogo e no apoio às pequenas e médias empresas.

No dia em que o chefe do Executivo de Macau apresentou as linhas mestras das Linhas de Acção Governativa para 2019, o Governo do território salienta o aumento de 15,9 por cento nas receitas do jogo nos primeiros três trimestres no ano, para um montante que se cifrou em 24.594 milhões de euros.

Por outro lado, o Governo liderado por Fernando Chui Sai On lembra que “nos primeiros dez meses do ano os montantes aprovados no âmbito do Plano de Apoio a Pequenas e Médias Empresas atingiram 257 milhões de patacas [28 milhões de euros], correspondendo a um aumento de 24 por cento em termos anuais”.

No balanço que fez ao desempenho do Executivo ao longo do último ano, Chui Sai On destacou ainda o trabalho efectuado no ‘desenho’ de uma plataforma entre a Repúblics Popular da China e os países lusófonos, assinalando “avanços no desenvolvimento do projecto ‘Centro para a regularização das transacções em renmimbi entre a República Popular da China e os países de língua portuguesa’”.

Por outro lado, o Executivo registou ainda o “fomento no desenvolvimento do ‘Centro de Distribuição dos Produtos Alimentares dos países de língua portuguesa’”.

A construção de 28 mil fracções de habitação pública, o início da elaboração do plano director da cidade, a prevenção e redução de desastres, o aumento de subsídios aos idosos, bem como a participação no desenvolvimento da Grande Baía, um projecto que envolve Macau, Hong Kong e nove cidades da província chinesa de Guangdong, são também registados neste balanço a actividade da Região Administrativa Especial.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.