Sulawesi. Comunidade indonésia angariou cinco mil patacas para as vítimas do tsunami

A iniciativa foi este domingo impulsionada pela Jesus Alive Ministry, uma organização de natureza evangélica que trabalha com a comunidade migrante radicada em Macau. O montante deve ser agora canalizado para o terreno, sob a forma de bens de primeira necessidade, por uma televisão evangélica com sede em Jakarta, a Pijar TV.

A filial local da organização evangélica Jesus Alive Ministry angariou este domingo cerca de cinco mil patacas em prol dos esforços de reconstrução das áreas devastadas pelo sismo e pelo tsunami que a 28 de Setembro abalaram a ilha indonésia de Sulawesi.

Numa iniciativa que decorreu no auditório da Igreja Evangélica Assembleia de Deus, situada na Rua de Ferreira do Amaral, a Jesus Alive Ministry angariou 5280 patacas junto dos membros da comunidade indonésia radicada no território, noticiou a emissora em língua chinesa da Rádio Macau.

O montante vai agora ser canalizado para a região de Palu, a mais devastada pelo maremoto de 28 de Setembro. Para além de promover a angariação de fundos, a Jesus Alive Ministry convidou todos quanto se juntaram à iniciativa a rezar por todos quantos perderam tudo quanto tinham no desastre.

O certame foi abrilhantado por performances de dança e de canto protagonizadas por membros de asssociações locais de trabalhadores indonésios, como a Srikando Macau ou a Peduli BMI Macau.

O artista plástico australiano Denis Murrel também se associou ao evento, ao oferecer duas obras da sua autoria para que fossem leiloadas. Bei Terra, autora de livros infantis de nacionalidade filipina, ofereceu dez livros para que fossem vendidos. Os lucros obtidos com a venda dos exemplares revertem por inteiro para as vítimas do tsunami que a 28 de Setembro deixou um rasto de morte e destruição no centro de Sulawesi.

As mais de cinco mil patacas angariadas serão agora enviadas para a Pijar TV, uma televisão de inspiração cristã com sede em Jakarta que se comprometeu a fazer chegar o dinheiro, sob a forma de bens de primeira necessidade, a alguns dos sobreviventes do desastre natural.

Em Macau há cerca de 26 mil pessoas com ligações à Indonésia. Para além de cerca de seis mil trabalhadores migrantes, o território serve de casa ainda a várias centenas de cidadãos indonésios titulares do Bilhete de Identidade de Residente. A esmagadora maioria dos indonésios de Macau são, no entanto, os chamados “Yan Nei Va Kio”, cidadãos chineses que nasceram na Indonésia e que regressaram à terra dos seus antepassados na sequência de perseguições de natureza política. O número de “Yan Nei Va Kio” que residem no território deverá rondar os 20 mil.

A tragédia que se abateu sobre a província de Sulawesi Central não poupou Macau. Na semana passada, os responsáveis pela Jesus Alive Ministry revelou que uma trabalhadora doméstica radicada no território perdeu nove familiares a 28 de Setembro. O sismo, seguido de maremoto, que abalou a região de Palu vitimou mais de duas mil pessoas. O número de desaparecidos poderá ascender a mais de cinco mil.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.