Autocarros. Tarifas aumentam já a partir de sábado

O Governo deixou cair a proposta de criar tarifas diferenciadas para trabalhadores não residentes e para turistas. Cada viagem feita a bordo de um autocarro público vai passar a custar seis patacas, mas fica substancialmente mais pataca se for paga através do recurso ao Macau Pass.

Viajar de autocarro vai ficar mais caro a partir do próximo sábado. Meio ano depois de ter proposto um ajustamento dos preços cobrados pela três operadoras de transportes públicos, a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) apresentou esta segunda-feira a proposta final do Governo relativa ao aumento das tarifas.

A partir de 21 de Abril, uma viagem a bordo de um dos veículos da TCM, da Transmac e da Nova Era vai passar a custar seis patacas, quase o dobro do valor actualmente pago para uma deslocação dentro de Macau. Se a viagem for paga através do recurso ao Macau Pass, o preço é de três patacas para as carreiras normais e de quatro patacas para as chamadas carreiras “expresso”, explicou Lam Hin San, director da DSAT: “De uma forma geral, todas as carreiras vão custar seis patacas. Se a viagem for paga com o Macau Pass, os titulares do cartão obtêm um desconto de três patacas. Nas rotas servidas por carreiras expresso o custo em cartão será de quatro patacas”, disse o responsável em conferência de imprensa.

A Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego, que esta segunda-feira anunciou ainda o reforço do numero das carreiras expresso em circulação, vai manter os privilégios consignados a estudantes e a idosos. Os titulares do cartão de estudante passam a pagar metade do preço da tarifa. Já os idosos e os titulares do cartão para pessoa deficiente continuam a poder viajar de graça.

A DSAT justificou o ajustamento dos preços com a necessidade de garantir a acessibilidade da população aos transportes públicos, assegurando ao mesmo tempo a viabilidade financeira das três concessionárias de autocarros. O aumento das tarifas deverá permitir ao erário público uma poupança na ordem dos 150 milhões de patacas: “De acordo com as nossas estimativas, devemos poupar cerca de 150 milhões de patacas. Qualquer coisa como dez milhões de patacas mensais. Em relação ao montante poupado, é uma solução razoável. Vamos aumentar os serviços quando for necessário e quando tivermos condições para tal”, explicou Lam Hin San.

Com o ajustamento das tarifas e a promoção do uso de porta-moedas electrónicos, a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego anunciou ainda a intenção de cancelar o passe mensal e de ajustar o prazo para os benefícios de correspondência.

No ano passado, as três concessionárias de autocarros de Macau transportaram 210 milhões de passageiros, um valor que deverá conhecer este ano um aumento na ordem dos quatro por cento, de acordo com as estimativas dos Serviços para os Assuntos de Tráfego.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.