Governo poderá penalizar transportadoras que mais falham

O Executivo pode vir a avançar para a criação de um sistema de penalização das transportadoras que estiverem envolvidas com maior frequência em acidentes de viação. Desde o início do ano e até 12 de Abril, as três concessionárias afastaram 36 condutores, suspeitos de conduta irregular ao volante.

Desde o início do ano, as três operadoras de autocarros do território já despediram ou afastaram 36 condutores por infracções registadas ao volante. A principal razia teve como protagonista a Transmac. A empresa demitiu quatro condutores por conduta perigosa e viu 23 outros desvincularem-se por alegado mote próprio. Os números, esta manhã divulgados pela DSAT, são superiores aos registados durante os doze meses na totalidade dos doze meses do ano passado e traduzem o que Lam Hin San define como a adopção de uma política de tolerância zero para com os comportamentos de risco ao volante: “Actualmente existem cerca de 1300 condutores e 900 autocarros. Feitas as conta, há cerca de 1,15 condutores para cada autocarro em circulação. Este é um valor que fica muito aquém da média mundia, que é de 2,2 condutores por cada autocarro. Ainda assim, gostava de deixar claro que estes números não são para nós relevantes. A nossa prioridade é para com a segurança. Espero que os residentes de Macau possam compreender a situação”, afirmou o responsável máximo pela Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego.

A morte de um idoso, no domingo, na Taipa, é o mais recente episódio de uma série de incidentes envolvendo autocarros. O homem foi mortalmente colhido por uma viatura da Transmac quando atravessava a passadeira na Estrada Governador Nobre de Carvalho.

A Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego quer ver diminuir a frequência com que se verificam acidentes graves envolvendo autocarros e vai reforçar as estratégias de fiscalização, nomeadamente através do recurso a dispositivos tecnológicos. Até ao final de Maio, os autocarros em circulação no território deverão estar equipados com mecanismos que possibilitam a recolha em tempo real de informação relativa à velocidade a que circulam as viaturas, entre outras questões: “O sistema de gravação vai enviar para as transportadoras informação em tempo real sobre a condução, a velocidade e as condições da estrada. Tudo é gravado. A empresa vai ter a possibilidade de supervisionar por completo o comportamento e a conduta dos condutores. Não se trata de um mero sistema de aviso. É um conceito completamente diferente. É um sistema mais avançado e mais abrangente. Permite que as empresas tomem o pulso à atitude dos condutores ao volante”, explicou Lam Hin San.

A utilização de telemóvel ao volante, o desrespeito pela sinalização luminosa, a circulação em excesso de velocidade ou a condução sob o efeito do álcool são más práticas que a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego quer ver eliminadas. O organismo não descarta a possibilidade de vir a impôr um sistema de penalização que premeie as transportadoras envolvidas num menor número de ocorrências.

À margem da conferência de imprensa desta manhã, Li Qijian, vice-director geral da Transmac, garantiu que o condutor que esteve envolvido no atropelamento mortal de domingo não se encontrava em situação de excesso de trabalho. O condutor, de 59 anos, apresentava um registo limpo em termos de segurança, mas terá sido detido pelas forças de segurança, que vão agora averiguar sobre as eventuais responsabilidades criminais do funcionário da Transmac.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.