Ensino e investigação. Lisboa e Macau querem reforçar cooperação

O desejo foi expressado durante a 3.ª Reunião da Subcomissão da Língua Portuguesa e Educação da Comissão Mista, que decorreu na semana passada no território. Os representantes de ambas as partes reiteraram a importância de cooperar em áreas como o ensino, a investigação científica e a língua portuguesa.

Portugal e Macau querem reforçar a cooperação bilateral em matérias como a língua portuguesa, o ensino ou a investigação científica, de acordo com um comunicado do Gabinete de Comunicação Social (GCS), divulgado esta segunda-feira.

Durante a 3.ª Reunião da Subcomissão da Língua Portuguesa e Educação da Comissão Mista, que decorreu no final da semana passada, as partes reiteraram a importância da cooperação nas áreas do ensino, da investigação científica, do reconhecimento dos graus e habilitações e da educação em língua portuguesa.

As delegações, chefiadas por Luís Faro Ramos, presidente do Camões – Instituto da Cooperação e Língua, e por Sou Chio Fai, coordenador do Gabinete de Apoio ao Ensino Superior em Macau, consideram prioritária a formalização de um quadro legal bilateral de reconhecimento mútuo de diplomas entre Portugal e a Macau.

Foi ainda anunciado que, muito brevemente, as informações sobre bolsas de mérito e apoios financeiros dados pela região, serão colocados em mandarim, na página eletrónica do Instituto Camões, de acordo com a nota do Gabinete de Comunicação Social.

Ainda no domínio da educação, a delegação portuguesa apresentou o ‘Balcão de Apoio ao Estudante Internacional’, de Julho de 2017, que se destina a dar informações sobre os cursos e as condições de matrícula nas instituições do ensino superior de Portugal, como refere o comunicado.

Relativamente ao ensino do mandarim em Portugal, a delegação portuguesa declarou estar “em franco desenvolvimento e que o número de escolas que ensinam a língua está a aumentar”.

À margem desta reunião, foi assinado um protocolo entre os dois institutos que visa a certificação, com a chancela do instituto Camões, de cursos de professores de língua portuguesa, administrados pelo Instituto Politécnico de Macau.

As delegações sublinharam ainda que 2019 será um ano importante para as relações bilaterais, uma vez que se celebram os 20 anos da Região Administrativa Especial de Macau e os 40 anos do estabelecimento de relações diplomáticas entre Portugal e a República Popular da China.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.