Tim Cook pede “cabeça fria” a Pequim e a Washington

A Apple, que tem grande parte da sua produção centrada na República Popular da China e tem no Continente um dos seus principais mercados, pode ser uma das principais prejudicadas pela guerra comercial declarada por Washington. Tim Cook pede prudência às duas maiores potenciais económicas mundiais.

O director executivo da gigante tecnológico norte-americana Apple, Tim Cook, pediu esta sábado aos Executivos de Pequim e de Washington que mantenham a “cabeça fria” perante o receio de que exploda uma guerra comercial entre ambas as potências, depois do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter anunciado a intenção de taxas mais de 3600 produtos com origem no Continente.

Num fórum realizado na capital chinesa, Cook deixou um apelo à calma: “Estou consciente de que tanto nos Estados Unidos como na China houve casos em que nem todos beneficiaram, onde o benefício não foi equilibrado”, reconheceu Cook, durante o Fórum de Desenvolvimento da China, um evento realizado este fim-de-semana em que participam diversas personalidades internacionais.

Na quinta-feira, o Governo norte-americano anunciou a imposição de novas tarifas à República Popular da China, num valor de até 60.000 milhões de dólares anuais por supostas afrontas à propriedade intelectual norte-americana, o que se soma às polémicas tarifas de 25 por cento para as importações de aço e de 10 por cento para as de alumínio.

Em resposta, na sexta-feira a China anunciou que está a consider impor tarifas de até 3.000 milhões de dólares às importações de alguns produtos norte-americanos.

Pequim também advertiu que contempla empreender medidas legais no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC), por considerar que as restrições impostas pelo EUA interferem na ordem do comércio internacional.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.