Baidu quer veículos autónomos nas estradas até 2023

A gigante chinesa do sector tecnológico quer ver carros inteiramente autónomos a circular nas estradas chinesas “dentro de três a cinco anos”. A empresa, liderada por Robin Li, criou um fundo no valor de 1,5 mil milhões de dólares norte-americanos com o propósito de financiar projectos que visem o desenvolvimento de veículos do género.

Carros que dispensam a presença de condutores deverão circular nas estradas da República Popular da China “dentro de três a cinco anos”. A garantia foi esta quinta-feira dada pelo fundador e presidente do gigante da Internet Baidu, empresa que seguiu os passos do Google e assume o estatuto de líder no desenvolvimento dos chamados “driverless cars”.

A estimativa ontem avançada por Robin Li é e bem mais optimista do que a prevista pelo Ministro das Tecnologias da Informação do Continente, que na semana passada diz que os carros sem condutor só se deverão massificar dentro de uma década, dados os constrangimentos que ainda se verificam em termos de segurança.

“Sou muito mais optimista do que ele. Acredito que esta tecnologioa se vai afirmar bem mais cedo, disse o director executivo da Baidu à margem da reunião da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, ontem em Pequim.

O Baidu, tido muitas vezes como o Google da China, opera o principal motor de busca do país e tem vindo a investir fortemente numa série de serviços variados, que vão dos pagamentos online à chamada “internet das coisas”, passando pelo desenvolvimento de mecanismos de inteligência artificial.

A exemplo do que sucede com o Google, a gigante chinês do sector das novas tecnologias está a investir de forma significativa no desenvolvimento de veículos autónomos.

Em 2019, em cooperação com fabricantes chineses, a empresa, com sede em Pequim, planeia lançar um veículo com “um elevado grau de autonomia”, Li disse à imprensa.

“Uma condução com um alto grau de automação significa … por exemplo, numa viagem entre Pequim e Xangai, desde que se mantenha na auto-estrada, não terá que se preocupar com nada. Pode comer uma sopa de fitas ou cantar dentro do carro que a viatura levá-lo ao seu destino”, explicou o director executivo do Baidu.

O condutor necessita, contudo, de se apropriar uma vez mais do volante assim que a viatura se afastar das principais auto-estradas: “Nos próximos três a cinco anos, acredito que carros totalmente autónomos vão começar a marcar presença nas estradas”, defendeu o empresário.

Em Setembro, o Baidu criou um fundo no valor de 1,5 mil milhões de dólares norte-americanos com o propósito único de ajudar a desenvolver veículos cem por cento autónomos.

A empresa vai ainda criar uma plataforma aberta em que se propõe partilhar os seus avanços tecnológicos com designers e construtores.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.