Indonésia: Homem morre após ser atacado por um tigre

O ataque, que ocorreu numa localidade remota da província de Riau, é o segundo ataque mortal registado desde o início do ano. A vítima é um homem de 34 anos que trabalhava na limpeza de um terreno florestal.

Um homem, de 34 anos, foi morto por um tigre de Sumatra numa remota localidade indonésia, disseram este domingo as autoridades do país. Trata-se do segundo ataque mortal registado no país desde o início do ano. Na semana passada, as agências internacionais noticiaram o contrário: a morte de um tigre às mãos de um grupo de aldeões de uma localidade do norte da ilha de Sumatra.

Yusri Effendi foi encontrado morto no sábado à noite, com lesões fatais no pescoço. A vítima estava a trabalhar com outros funcionários num canteiro na aldeia de Tanjung Simpang, na província de Riau, quando um tigre foi visto a vaguear nas imediações.

Os trabalhadores esperaram várias horas antes de sair, pensando que o animal tinha desaparecido. O grupo acabou por dar de frente com o tigre e os colegas da vítima sugerirarm que todos se deveriam dispersar para escapar do felino. Effendi não teve sorte e acabou por ser encontrado já sem sinais vitais perto de um rio: “Quando tiraram as suas roupas, repararam que tinha uma ferida no pescoço”, afirmou a agência de protecção ambiental da província de Riau, em comunicado.

Nos últimos anos, foram vários os casos reportados de pessoas que foram atacadas por tigres quando se encontravam envolvidas em projectos de limpeza de áreas florestais, tendo em vista a criação de novas plantações de palma. O desmatamento destrói os ‘habitats’ dos animais e promove o contacto entre animais selvagens e as populações humanas.

Em janeiro, um empregado de uma plantação de palma na mesma província de Riau foi morto por um tigre quando se encontrava no seu local de trabalho.

A União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) considera que o tigre de Sumatra está criticamente ameaçado e estima que apenas entre 400 e 500 espécimes ainda vivam em estado selvagem.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.