Festival das Lanternas encerra celebrações do novo Ano Lunar

As duas semanas pelas quais se prolonga a celebração da chegada do novo Ano Lunar chegaram esta sexta-feira ao fim, com a celebração do Festival das Lanternas. Milhões de pessoas saíram ontem à rua um pouco por todo o país para apreciar a primeira lua cheia do Ano do Cão.

Lanternas vermelhas, desfiles e danças tanto do leão, como do dragão e o consumo, quase mandatório, de bolas de arroz glutinoso denominadas “yuanxiao” ajudaram esta sexta-feira a dar forma ao Festival das Lanternas. A efeméride encerra o período de duas semanas de celebração relativas ao Festival da Primavera e dá boas-vindas à primeira Lua Cheia do Ano Lunar do Cão.

O peixe é, na cultura chinesa, um símbolo de sorte e de protecção.

Em províncias do centro e leste da República Popular da China – como Zhejiang, Jiangxi e Anhui – o festival, celebrado sobretudo durante a noite, para que a Lua também possa ser parte das celebrações, deu azo à actuação de grupos de dança do leão e do dragão e ainda ao desfile de lanternas construídas em madeira, cartão e tela e com a forma de peixes, tartarugas ou lagostas.
Em Zhaikou, na província de Zhejiang, os residentes da cidade penduram nas portas pequenas lanternas em forma de peixe, um animal que na cultura chinesa simboliza sorte e protecção.
Em várias cidades das imediações de Pequim, como em Zhangjiakou, que em 2022 vai acolher a maioria das provas dos Jogos Olímpicos de Inverno, o frio habitual que se faz sentir nesta altura é exorcizado com uma cerimónia ousada: um grupo de foliõees lança ao ar limalha de ferro fundido, com o propósito de criar uma chuva de fogo. O espectáculo atrai à cidade um número cada vez mais substancial de turistas.
Em Pequim, como aconteceu durante os feriados do Ano Novo Lunar, a festa voltou a fazer-se de forma muito mais comedida, devido à proibição, por parte da autarquia da capital chinesa, da queima de panchões e de fogo de artíficio. Com a medida, as autoridades de Pequim procuraram reduzir a poluição atmosférica e o minimizar o risco de incêndios.
Cada região da China celebra o fim das celebrações do Festival de Primavera com diferentes rituais, embora uma tradição seja transversal a todo o país, a de comer os referidos yuanxiao enquanto se olha para a Lua.
O Festival das Lanternas é celebrado na China há mais de dois mil anos, e por se tratar de uma festividade determinada pelo calendário lunar, não coincide todos os anos com o mesmo período do calendário ocidental: habitualmente celebra-se em fevereiro, mas esta é uma das raras ocasiões em que se celebrou em Março.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.