Hong Kong. Activista de 19 anos acusado de “secessão”

Um activista de Hong Kong de 19 anos foi acusado nesta quinta-feira de “secessão”. Trata-se da primeira personalidade política a ser processada em virtude da lei de segurança nacional imposta pela República Popular da China na antiga colónia britânica.

Dois dias depois de ter sido preso num café localizado frente ao consulado americano em Hong Kong, Tony Chung foi acusado por um tribunal de secessão, lavagem de dinheiro e conspiração para publicar conteúdo sedicioso. O jovem fundou em 2016 o grupo “Student Localism”, um grupo pró-independência que foi dissolvido antes da entrada em vigor da lei da segurança nacional, em Junho.

Chung, que já tinha sido detido no final de Julho com três outros activistas, por suspeita de promover a independência do território em publicações nas redes sociais, foi uma das primeiras vítimas da lei da segurança nacional, tendo então sido libertado sob fiança.

O jovem activista é acusado de secessão, lavagem de dinheiro e conspiração para publicar material separatista.

Chung, que esteve sob custódia policial até à comparência em tribunal, esta manhã, vai ficar detido até ao julgamento, tendo-lhe sido negado o pedido de fiança.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.