França. Detidos alegados autores do assalto a carrinhas de transporte de valores em Lausanne

Os presumíveis autores do assalto a duas carrinhas de transportes de valores a 23 de Agosto de 2019, em La Sarraz, no cantão de Vaud foram detidos na cidade francesa de Lyon. O ataque, que terá sido conduzido por mais de uma de meliantes, resultou no furto de onze milhões de francos suíços.

Os factos remontam à madrugada de 23 de Agosto de 2019, quando um grupo de mais de dezenas de pessoas bloquearam, com o recurso a três veículos, duas carrinhas de transporte de valores numa auto-estrada em La Sarraz, nas imediações da cidade de Lausanne.

Os assaltantes dispararam contra os compartimentos blindados de transporte de passageiros das viaturas neutralizadas, antes de terem aberto as portas traseiras de ambas as carrinhas com o recurso a explosivos. Depois de consumado o assalto, os assaltantes deixaram para trás três viaturas carbonizadas.

Ao fim de mais de treze meses de investigação, agentes do Gabinete Francês de Luta Contra o Crime Organizado e da Polícia Judiciária de Lyon conseguiram identificar – em parte devido ao um paciente levantamento de dados telefónicos –  alguns dos supostos autores do espectacular assalto. Mais de uma dezena de pessoas foram detidas na região de Lyon – um bastião do crime organizado em território francês – na segunda-feira. As autoridades gaulesas apreenderam armas e 90 mil euros em dinheiro e interrogaram treze suspeitos por alegada ligação ao assalto.

A 28 de Agosto último uma outra carrinha de transporte de valores foi assaltada  num dos bairros de Lyon, mas a investida – que resultou no roubo de 9 milhões de euros – acabou por se tratar de uma excepção, uma vez que os grupos de crime organizado do leste de França têm favorecido ao longo dos últimos anos a carrinhas de transportes de valores em circulação nas estradas da vizinha Suíça.

O sistema bancário suíço pressupõe a movimentação e o transporte regular de dinheiro e o nível de segurança dos veículos blindados é, regra geral,  menor do que em França.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.