Taiwan acciona aviões de combate depois de caças chineses terem sobrevoado a ilha

Taiwan accionou esta sexta-feira uma esquadrilha de caças, depois de 18 aeronaves chinesas terem sobrevoado a ilha, cruzando a instável linha média do Estreito de Taiwan. A investida chinesa surgiu como reacção à visita de um membro do Governo norte-americano a Taiwan.

A China já tinha anunciado exercícios de combate e criticado o que classificou como um conluio entre a ilha, que reivindica como parte de seu território, e o Executivo de Washington.

O sub-secretário dos Assuntos Económicos norte-americano, Keith Krach, chegou a Taipé na quinta-feira para uma visita de três dias. Krach é o funcionário mais destacado do Departamento de Estado a visitar Taiwan em quatro décadas, pelo que a China prometeu dar a “resposta necessária” à visita do dignitário norte-americana.

A China vem acompanhando com cada vez mais alarmo o estreitamento das relações  entre Taipé e Washington, e intensificou os exercícios militares perto da ilha, o que incluiu dois dias de manobras aéreas e marítimas de larga escala esta semana.

Taiwan disse que 18 aviões chineses envolveram-se esta sexta-feira nas referidas manobras, muito mais do que o número de aeronaves mobilizadas em anteriores iniciativas da índole.

O governo local mostrou um mapa da rota de voo dos aviões chineses na linha média do Estreito de Taiwan, que aeronaves de combate dos dois lados normalmente evitam atravessar.

O jornal taiwanês Liberty Times disse que caças de Taiwan foram accionados 17 vezes ao longo de quatro horas, exigindo que a Força Aérea chinesa mantivesse a distância.

O jornal também mostrou uma foto de mísseis a ser instalados num caça F-16 na base aérea de Hualien, no litoral leste de Taiwan.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.