Xi quer austeridade à mesa. Um prato por comensal, menos um

Os chineses receberam instruções para pedir menos comida quando vão aos restaurantes, numa campanha de austeridade estimulada pelo presidente Xi Jinping, que deseja acabar com o desperdício alimentar.

A tradição chinesa determina que o número de pratos que são servidos à mesa iguale o número de convidados mais um. Agora, o país é convidado a mudar a regra: um prato por comensal , menos um.

Muitas associações profissionais do sector da restauração nas cidades de Pequim, Wuhan e Xian tentam agora impor o chamado modelo “N-1”. Os membros destas associações também são convidados a oferecer nos seus menus porções reduzidas.

As iniciativas são motivadas por uma “instrução” publicada na terça-feira por Xi Jinping, que considera “chocante e preocupante” o desperdício de alimentos por parte dos seus compatriotas: “Apesar das boas colheitas que o nosso país regista todos os anos, temos de manter a sensação de crise em termos de segurança alimentar”, advertiu o chefe de Estado.

Num relatório de 2018, a Academia de Ciências da China calculou em quase 100 gramas a quantidade média de comida desperdiçada por pessoa a cada refeição.

O protocolo exige que alguma comida seja deixada no prato no fim de cada refeição para não dar a impressão de que não há mais nada para comer.

Em pleno apogeu económico, a China passou num espaço de algumas décadas de períodos de fome ao consumo excessivo de alimentos.

Em 2015, a Academia de Ciências Agrícolas calculou em 35 milhões de toneladas a quantidade de comida desperdiçada a cada ano no país, com uma população de 1,4 mil milhões de habitantes.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.