Pequim assinala 600 anos da Cidade Proibida com programa festivo

A Cidade Proibida, em Pequim, acolhe em 2020 uma série de exposições, seminários e intercâmbios para marcar os 600 anos do antigo complexo imperial. O antigo palácio é hoje a principal atracção turística da capital chinesa.

De acordo com a agência de notícias oficial chinesa Xinhua, que cita o curador Wang Xudong, este ano o Palácio Museu da Cidade Proibida, que completa 95 anos, vai propor mostras de pintura, caligrafia e de arquitectura antiga.

Em particular, uma exposição vai espelhar as mudanças que ocorreram na complexo ao longo dos últimos 600 anos, com base em 20 anos considerados ‘chave’, indicou Wang Xudong.

Em simultâneo, 600 estudantes do ensino secundário de Taiwan e das duas Regiões Administrativas Especiais chinesas, Hong Kong e Macau, vão ser convidados a visitar o museu para iniciativas de intercâmbio.

Outrora fechado aos cidadãos comuns, sendo a entrada punível com pena de morte, o antigo Palácio Imperial, que serviu durante cerca de cinco séculos como centro cerimonial e político do regime imperial chinês, é hoje a principal atração turística de Pequim.

Em Abril deste ano, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, visitou o complexo, no âmbito de uma visita de Estado à República Popular da China, que terminou em Macau, território administrado por Portugal até 20 de Dezembro de 1999.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.