NASA prepara casas insufláveis para a Lua, Marte e mais além

No dia em que os astronautas orbitarem a Lua ou se prepararem para morar na  superfície do satélite natural da terra, algures na próxima década, é provável que o façam em habitações espaciais insufláveis que se encontram actualmente em desenvolvimento.

Dezenas de funcionários da Agência Aeroespacial dos Estados Unidos (NASA) e de astronautas veteranos estão a concluir o processo de revisão de cinco protótipos de habitat espacial fabricados por várias empresas.

Os protótipos oferecem à agência ideias para a melhor opção para o projecto Gatweay, o posto avançado de investigação planeado para a órbita lunar. O módulo abrigará e servirá como ponte de transferência de astronautas para a superfície da Lua.

“A questão crucial passa por definir aquilo de que gostamos e de que não gostamos nestes habitáculos”, disse Mike Gernhardt, astronauta da NASA e principal impulsionador da campanha de testes, em declarações à agência Reuters.

Recentemente, Gernhardt e a sua equipe estavam a proceder à última inspecção a um dos habitáculos em Las Vegas, na sede da Bigelow Aerospace, uma fabricante de módulos espaciais fundada por Robert Bigelow, proprietário de uma rede de unidades hoteleiras.

Em Março, o vice-presidente dos Estados Unidos da América, Mike Pence, encarregou a NASA de colocar uma primeira tripulação de astronautas na Lua até 2024. Os planos de regressar à Lua num prazo de cinco anos deu azo ao programa Artemis, que prevê o desenvolvimento de módulos de pouso lunar, jipes robóticos e do chamado Gateway Lunar, uma estação espacial modular na órbita da Lua com acomodações para astronautas, um laboratório científico e espaços de acoplagem para aeronaves em visita. O projecto deve ser financiado com recursos privados: “O Gateway é uma oportunidade de testar todas estas estruturas num ambiente de espaço sideral como prelúdio a uma ida a Marte”, disse Bigelow aos repórteres. “Achamos que é possível que, até ao final do sexo, a arquitectura expansível esteja no ponto de se tornar uma realidade”, defende.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.