Hong Kong. Guerra comercial força Pequim a atitude moderada, diz Donald Trump

O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou na sexta-feira que o impasse comercial que Washington mantém com a China está a forçar Pequim a adoptar uma linha mais moderada com Hong Kong. A antiga colónia britânica está há quase três meses mergulhada num cenário de grande contestação social.

Após confirmar que as novas tarifas sobre produtos chinesas vão entrar em vigor este domingo, Trump traçou um pior cenário na antiga colónia britânica sem a pressão dos Estados Unidos sobre a República Popular da China.

“Sem as negociações comerciais, Hong Kong enfrentaria mais dificuldades”, disse o chefe de Estado norte-americano, que já deu a entender que só chegará a acordo com a China se Pequim tratar Hong Kong “de forma humana”.

Os protestos na RAEHK foram inicialmente direccionados contra emendas propostas pelo Executivo a uma lei que permitira extraditar suspeitos de crimes para a República Popular da China.

Os manifestantes exigem agora a retirada definitiva da lei da extradição, a libertação dos manifestantes detidos, que as acções dos protestos não sejam identificadas como motins, um inquérito independente à violência policial, a demissão da chefe de governo Carrie Lam e sufrágio universal nas eleições para este cargo e para o Conselho Legislativo, o parlamento de Hong Kong.

Na sexta-feira, o movimento que tem liderado desde Junho os maiores protestos em Hong Kong cancelou a manifestação e a marcha previstas para sábado, após perder o recurso contra a decisão da polícia de proibir as iniciativas. As iniciativas realizaram-se à mesma.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.