Mike Pompeo em Pyongyang para acelerar cimeira entre Trump e Kim

O segundo encontro entre o presidente norte-americano e o líder norte-coreano é o principal objectivo da quarta deslocação de Pompeo a Pyongyang. O secretário de Estado norte-americano vai ainda discutir com Kim Jong-un o processo de desnuclearização da península coreana.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, partiu esta manhã de Tóquio rumo a Pyongyang para se encontrar com o líder norte-coreano, com o objectivo de acelerar as condições para uma segunda cimeira entre Donald Trump e Kim Jong-Un.

“Próxima paragem Pyongyang, para me encontrar com o Presidente Kim e continuar o nosso trabalho” e honrar “os compromissos” feitos pelos líderes dos Estados Unidos da América e da Coreia do Norte, escreveu Mike Pompeo, na sua conta oficial da rede social Twitter.

O responsável norte-americano esteve, desde sábado, em Tóquio, no início da visita de três dias à Ásia. Depois de Pyongyang, segue para a Coreia do Sul e para a República Popular da China.

O objectivo é “construir confiança suficiente” entre os dois inimigos históricos para avançar em direcção à paz, afirmou Pompeo.

Esta é a quarta visita do responsável norte-americano a Pyonyang, mas também a primeira desde Junho passado, após a cimeira histórica em Singapura entre Kim Jong-un e Donald Trump. Em relação à segunda cimeira, entre Kim e Trump, Pompeo minimizou as expectativas de uma possível conclusão dos preparativos: “Duvido que seja uma conclusão, mas sim o início do desenvolvimento de opções para [definir] o local e a data”, disse.

Outro dos objectivos da reunião deste domingo é também acelerar o processo de desnuclearização da península coreana. Pyongyang já advertiu Washington que uma eventual declaração de fim da Guerra da Coreia não pode ser moeda de troca nas negociações sobre desnuclearização, mas o fim das sanções ao país poderá ser um passo nesse sentido.

Se Washington pretende progressos na desnuclearização norte-coreana deve suspender as sanções, declarou na terça-feira a agência de notícias norte-coreana.

Os Estados Unidos da América recusaram categoricamente até agora qualquer alívio das sanções internacionais. Washington quer primeiro ver o fim da desnuclearização da península e que esta seja verificada de forma independente.

A Guerra da Coreia (1950-53) terminou com a assinatura de um armistício, mas nunca foi assinado um tratado de paz, por isso os dois países continuam tecnicamente em guerra.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.