Alegado “voyeur” com termo de identidade e residência

O homem, um designer gráfico de 31 anos, fica ainda sujeito ao pagamento de uma caução. O Ministério Público está a investigar a possibilidade de o homem já ter cometido crimes similares aquele pelo qual foi agora indiciado.

O Ministério Público determinou este sábado a imposição da medida de coacção de termo de identidade e residência para o homem de 31 anos suspeito de ter filmado mulheres que utilizaram as casas de banho públicas situadas no Parque de Merendas do Altinho de Ká-ho.

O juiz de instrucção criminal que analisou o caso, noticia a TDM, também decretou que o suspeito vai estar sujeito ao pagamento de uma caução.

Os investigadores do Ministério Público estão a tentar se o arguido já tinha ou não cometido um primeiro crime similar anjtes de ter sido apanhado em flagrante por uma mulher de 27 anos que se apercebeu de que estaria a ser filmada enquanto utilizava as instalações sanitárias.

De acordo com o Código Penal, a devassa da privacidade através da gravação ou filmagem não autorizada é punida com dois anos de prisão ou pena de multa até 240 dias.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.