Burlas telefónicas causaram prejuízo de mais de 418 mil patacas

As autoridades do território registaram desde o início do ano mais de quatro centenas e meia de burlas por via telefónica. As operações criminosas terão estado na origem de desfalques num montante global superior a 400 mil patacas.

A vaga de burlas telefónicas que teve o território como palco ao longo dos últimos três meses resultou em prejuízos equivalentes a 418 mil patacas em menos de três meses, adiantou esta terça-feira à agência Lusa a Polícia Judiciária (PJ).

Desde o início do ano foram já registados 452 casos de burla telefónica com prejuízos superiores a 400 mil patacas, de acordo com dados compilados pela PJ, pela Polícia de Segurança Pública (PSP) e pelos Serviços de Alfândega (SA).

Entre Julho e Agosto de 2017, os alvos de burlas telefónicas foram sobretudo estudantes universitários e os prejuízos, registados em menos de um mês, rondaram os doze milhões de patacas.

Entre Setembro e Dezembro, os dados das autoridades locais apontavam para 1.596 casos e prejuízos superiores a trezentas mil patacas. O esquema dos burlões é fazerem-se passar por funcionários públicos ou de órgãos judiciais da República Popular da China.

A Polícia Judiciária indicou, na segunda-feira, ter detido um cidadão de Taiwan, apontado pelas autoridades como um dos principais membros de um grupo de burlas activo no território desde o Verão passado.

Ao longo dos últimos dias, centenas de residentes do território receberam chamadas de números oriundos de países como Nauru, Tonga, a Samoa ou a Papua-Nova Guiné, no que aparenta ser um esquema de burla com chamadas de valor acrescentado.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.