Galaxy Entertainment adquire cinco por cento do capital da Wynn

A concessionária liderada por Lui Che-woo investiu 927,5 milhões de dólares na aquisição de cinco por cento do capital da operadora rival. Steve Wynn, por sua vez, desligou-se por inteiro do grupo que fundou, ao vender as restantes oito milhões de acções que ainda se encontravam em seu poder.

O empresário norte-americano Steve Wynn vendeu os oito milhões de títulos bolsistas das Wynn Resorts Ltd que ainda mantinha em seu poder, eliminando uma das últimas ligações que mantinha à concessionária de jogo que criou.

Se o adeus do magnata à empresa não surpreende, o mesmo não se pode dizer de um outro negócio que a operadora conclui nas últimas horas. O grupo, agora liderado por Matt Maddox, conduziu uma oferta pública primária de 5,3 milhões de acções. Os novos títulos foram adquiridos pelo Grupo Galaxy Entertainment, que assim garante uma fatia de quase cinco por cento do capital da operadora rival. A transacção foi esta manhã confirmada pela Wynn Resorts num comunicado enviado às redacções.

As duas operações, conduzidas quase em simultâneo, podem eventualmente fazer incidir alguma luz sobre o futuro da operadora de jogo, na sequência do adeus de Steve Wynn à liderança da empresa. O empresário demitiu-se em Fevereiro depois de ter sido acusado de assédio sexual. A operadora de jogo está a ser investigada tanto em Macau, como nos estados norte-americanos do Nevada e do Massachussets, num processo que pode resultar na perda da licença de exploração de jogo por parte da empresa. Sobre a mesa estaria também a possibilidade de Steve Wynn ser obrigado a desfazer-se dos interesses que tinha na concessionária, uma opção que a venda agora anunciada ajuda a eliminar.

Já a aquisição, por parte do grupo Galaxy Entertainment de cinco por cento do capital da Wynn, coloca a concessionária de Hong Kong como uma eventual candidata à compra da Wynn Resorts caso a empresa norte-americana perca protagonismo no âmbito do processo de renogociação das licenças de jogo que se inicia dentro de dois anos: “Esta é uma oportunidade única para adquirir uma participação numa empresa que tem reconhecidamente activos de alta qualidade e uma margem de desenvolvimento muito significativa”, explicou o vice-presidente do Grupo Galaxy Entertainment, Francis Lui, num comunicado.

As novas acções que permitiram que o grupo Galaxy entrasse no capital da Wynn foram vendidas a 175 dólares cada uma, num negócio que rondou os 927,5 milhões de dólares. A operadora norte-americana planeia utilizar o pagamento para saldar uma dívida de 800 milhões contraída recentemente com o propósito de sanar o feudo que mantinha desde há seis anos com a Universal Entertainment.

Já Steve Wynn, por sua vez, vendeu as suas restantes acções a dois investidores institucionais que já detinham uma participação no capital da Wynn Resorts. Os títulos que ainda detinha também foram vendidos a 175 dólares cada, numa transacção que totalizaou os 1,4 mil milhões de dólares. A venda materializou-se pouco depois de uma primeira transacção de 4,1 milhões de acções ter sido anunciada pela empresa.

Desde que abandonou a liderança da concessionária, Steve Wynn colocou fim ao feudo de seis anos que mantinha com a ex-mulher Elaine Wynn, oferecendo-lhe o direito de voto no Conselho de Administração do grupo, bem como de poder alienar a fatia de nove por cento do capital da empresa de que dispõe.

A empresa resolveu também o diferendo jurídico que mantinha com a Universal. Sob a liderança de Matt Maddox, alguns dos mais antigos membros do Conselho de Administração da empresa acabaram por abandonar o grupo.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.