Pansy no lugar de Polly. Mulher mais rica de Hong Kong perdeu metade da fortuna

A desvalorização progressiva dos títulos bolsistas do grupo Kingston Financial fizeram com que a empresário Pollyanna Chu perdesse metade da fortuna. Com o infortúnio, a empresária foi ultrapassada por Pansy Ho e por Viven Chen no ranking das mais ricas de Hong Kong.

Pollyanna Chu, proprietária do grupo Golden Resorts e até há relativamente pouco tempo a mulher mais rica de Hong Kong, perdeu mais de metade da sua fortuna, avaliada em 12 mil milhões de dólares, depois dos títulos bolsistas do grupo Kingston Financial terem perdido mais de metade do seu valor.

O grupo Kingston é a empresa mãe do grupo Golden Resorts, o grupo que possui e opera os casinos Casa Real e Grandview. Os casinos são operados tendo por base um acordo de prestação de serviços assinado com a Sociedade de Jogos de Macau, empresa fundada pelo magnata Stanley Ho, cuja filha – Pansy Ho – substitui agora Pollyanna Chu como a mulher mais rica da vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong.

As acções da Kingston, empresa que oferece serviços em sectores como a hospitalidade, o jogo ou os mercados financeiros, começaram a desvalorizar em Janeiro, quando a entidade reguladora do sector financeiro na vizinha RAEHK alertou os investidores para o facto dos títulos da empresa estarem nas mãos de um pequeno grupo de pessoas, uma circunstância que exponenciava o risco dos títulos da empresa poderem ser alvo de flutuações dramáticas.

Um total de apenas vinte accionistas controlavam, a 8 de Janeiro, 91 por cento do capital da empresa, avisou a entidade reguladora da vizinha RAEHK. Desde então, a companhia tem vindo a perder valor, sendo a empresa cotada no Hang Seng Index que registou um pior desempenho desde 2008. Só na segunda feira, o valor das acções do grupo resvalou doze por cento.

Quem é Pollyana Chu?

O pai de Pollyanna Chu, Lee Wai-man, fundou a empresa de promoção de jogo Macao Golden Group e ainda que o panorama da indústria do jogo se tenha alterado muito ao longo da última década, Lee continua a ser uma figura influente no que toca ao jogo VIP no território.

As operações de jogo continuam a contribuir de forma substancial para as receitas do grupo Kingston Financial; no ano passado, a empresa veio buscar a Macau uma fatia de 23 por cento do total das receitas que gerou.

A perda de uma fatia importante da sua fortuna não retira ambição a Pollyana Chu, que em Fevereiro anunciou que se ia juntar a um consórcio de investidores com o propósito de adquirir ao magnata Li Ka-shing uma boa parte do arranha-céus “The Center”. O negócio está avaliado em 5.2 mil milhões de dólares e Chu deverá adquirir uma fatia de 17 por cento do edifício, depois do consórcio estatal China Energy se ter retirado das negociações.

Pansy Ho assume o ceptro

A desvalorização de que foram alvo os títulos bolsistas do grupo Kingston Financial relegaram Pollyanna Chu para o 420.º lugar na lista dos mais ricos do mundo compilada pela Bloomberg, com uma fortuna avaliada em 4,68 mil milhões de dólares.

Traduzido por miúdos, Chu é agora a terceira mulher mais rica de Hong Kong, atrás de Pansy Ho (a 291.ª mais rica do mundo, com uma fortuna de 5,95 mil milhões de dólares) e a empresário do sector imobiliário Viven Chen, que tem uma fortuna avaliada em 5,90 mil milhões de dólares.

Pansy Ho é a presidente da Shun Tak Holdings, empresa fundada pelo pai. A empresária é ainda uma das principais accionistas tanto da Sociedade de Jogos de Macau, como da MGM China.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.