Fundação Oriente é membro honorário da Ordem do Infante D. Henrique

A distinção foi esta quinta-feira atribuída, no Museu do Oriente, pelo chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa. A iniciativa teve por objectivo assinalar os trinta anos da Fundação e os dez anos do espaço museológico por ela criado em Lisboa.

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, distinguiu esta quinta-feira a Fundação Oriente com o grau de membro honorário da Ordem do Infante D. Henrique, numa cerimónia que decorreu no Museu do Oriente, em Lisboa.

“Trinta anos volvidos, o que conta é a obra feita e cabe ao Presidente da República manifestar publicamente o que Portugal deve ao trabalho da Fundação e do seu Museu, e de o manifestar condecorando-a, sob proposta do primeiro-ministro, com o grau de membro honorário da Ordem do Infante D. Henrique”, afirmou o chefe de Estado português, numa iniciativa que teve como objectivo assinalar o 30.º aniversário da Fundação Oriente e o 10.º do Museu do Oriente.

A condecoração foi entregue ao presidente da fundação, Carlos Monjardino, que, para o Presidente da República, “nestas três décadas juntou ao seu permanente empenho cívico uma inquestionável visão cultural a um tempo nacional e cosmopolita”.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou que o acervo do Museu do Oriente e os objetivos da Fundação Oriente “confundem-se com dois dados que nenhum português pode esquecer”: “Que somos um país antigo, que andámos por todo o mundo e que disso se mantêm os textos, os objetos, os laços, a boa vontade, e o diálogo aberto com o outro, como se comprovou uma vez mais com esta exposição de José de Guimarães [‘Um Museu do Outro Mundo, que fica patente a partir de sexta-feira e até 03 de Junho]”, disse.

Para Rebelo de Sousa, a Fundação Oriente “cumpriu de forma esplêdida” o papel de “fazer dessa memória um museu”: “Nomeadamente no contexto da Expo’98, mostrando aos portugueses e ao mundo que a nossa história ultramarina de séculos não se pode julgar apenas no saudosismo imperial de uns, já poucos, ou na culpabilidade, tantas vezes descontextualizada, de outros”, declarou.

No discurso que ontem proferiu no Museu do Oriente, Marcelo Rebelo de Sousa fez referência ao antigo Presidente da República Mário Soares, que morreu no início do ano passado: “Resta-me acrescentar uma referência àquela personalidade que todos gostaríamos que aqui estivesse, e não está, e que tanto gostaria de aqui estar: o Presidente Mário Soares. É impossível não o lembramos neste momento e neste local”.

Nas comemorações do 30.º aniversário da Fundação Oriente e dos 10 anos do Museu Oriente estiveram também, entre outros, o primeiro-ministro, António Costa, o antigo Presidente da República Jorge Sampaio, o antigo presidente do Banco Espírito Santo Ricardo Salgado e o ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.