China nega que tenha recusado ajuda médica a Gui Minhai

Estocolmo e Pequim estão de costas voltadas, depois das autoridades suecas terem acusado a China de impedir que o activista Gui Minhai fosse visto por um médico sueco. Um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês nega as acusações.

A República Popular da China negou esta sexta-feira as acusações feitas pela Suécia de que não terá autorizado que um médico sueco examinasse Gui Minhai, um cidadão sueco nascido em território chinês.

Na quinta-feira, a Ministra dos Negócios Estrangeiros da Suécia, Margot Wallstrom, qualificou de “inaceitável” a atitude da China e acusou as autoridades de Pequim de terem voltado atrás com a palavra, depois de terem autorizado que Gui Minhai, de 53 anos, fossem visto por um clínico sueco.

Na sexta-feira, em conferência de imprensa, um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da República Popular da China rejeitou o que dizem ser “acusações não consubstanciadas” da Suécia. Geng Shuang assegura que o livreiro deixou claro que não queria ser examinado por um médico sueco, acrescentando que as autoridades chinesas têm a esperança de que o Governo de Estocolmo possa respeitar a sua posição.

Gui Minhai, que dirigia uma editora que publicava livros com posições críticas face ao Partido Comunista da China, desapareceu em Outubro de 2015 quando se encontrava de férias na Tailândia, tendo reaparecido meses depois sob detenção na República Popular da China. O livreiro e cinco outros funcionários de uma livraria de Hong Kong que desapareceram em iguais circunstâncias foram acusados por Pequim de espalharem rumores e de venderem publicações proíbidas no Continente.

Depois de detido, Gui Minhai confessou que teria fugido depois de ter atropelado mortalmente uma pessoas em 2003 e foi condenado a dois anos de prisão. O livreiro acabou de cumprir a pena em Outubro de 2017 e em Setembro foi divulgado um filme em que Gui, de 53 anos, critica a Suécia e diz que foi manipulado pelas autoridades de Estocolmo.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.