Novo Macau convoca manifestação de apoio à liberdade de imprensa para domingo

Fotografia: Expediente Photo

A Associação Novo Macau agendou uma manifestação no próximo domingo frente à sede da Teledifusão de Macau (TDM), na Rua Francisco Xavier Pereira. A iniciativa, de apoio à liberdade de imprensa, é a resposta do organismo, representado na Assembleia Legislativa pelo deputado Sulu Sou, a uma directiva interna da empresa que exige uma linha editorial patriótica aos jornalistas da redacção portuguesa e da redacção inglesa do Canal Macau.

“Já notificámos a polícia e não houve nenhuma objecção até ao momento”, disse Sulu Sou, também vice-presidente da Associação Novo Macau, à agência Lusa. 

“A liberdade de imprensa é um direito fundamental protegido por lei, um veículo importante para a liberdade de expressão, e um bem precioso de Macau”, recorda a Novo Macau num comunicado divulgado pela associação na noite de quarta-feira. “Com a liberdade de imprensa que resta, a população de Macau continua consciente das diferentes visões da sociedade, exortando a melhorias na governação e promovendo o progresso social”, salienta a associação

Os responsávepis pela mais influente plataforma pró-democracia de Macau deixam um apelo: “Desta vez, por favor, levantem-se juntos e apoiem os jornalistas profissionais e conscienciosos”.

A 10 de Março, a administração da TDM disse ao jornalistas do serviço de rádio e de televisão em língua portuguesa e inglesa que, a partir de então, estariam proibidos de divulgar informações e opiniões contrárias aos interesses da República Popular da China e do Governo de Macau. Entre as indicações que foram transmitidas oralmente aos jornalistas, estão directrizes como a TDM divulga e promove o patriotismo, o respeito e o amor à pátria e a Macau; a TDM é um órgão de divulgação da informação do Governo Central da República Popular da China e de Macau; o pessoal da TDM não divulga informação ou opiniões contrárias às políticas do Governo Central da China e apoia as medidas adoptadas por Macau.

Antes das directrizes terem sido comunicadas, a TDM contava com cerca de 40 jornalistas de língua portuguesa e inglesa. Destes, pelo menos seis apresentaram a demissão.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.