França. Anestesista que fez cesariana embriagada julgada por homicídio

O julgamento de uma anestesista, acusada de causar a morte de uma mulher durante uma cesariana por estar a trabalhar sob o efeito do álcool, arrancou esta quinta-feira, em França.

Helga Wauters, de 51 anos e nacionalidade belga, é acusada de homicídio involuntário pela morte de Xynthia Hawke, uma britânica de 28 anos, durante uma cesariana realizada em 2014.

“Agora reconheço que o meu vício era incompatível com o meu trabalho”, disse Wauters no tribunal de Pau, no sudoeste da França. “Lamentarei esta morte durante toda a minha vida”, acrescentou.

Wauters tinha realizado uma epidural em Hawke, mas surgiram complicações durante o parto que exigiram uma cesariana de emergência. Ao entrar na sala de operações, Wauters cheirava a álcool, de acordo com várias testemunhas.

De acordo com os investigadores, a médica intubou o esôfago em vez da tráquea. Hawke morreu quatro dias depois de uma paragem cardíaca, mas o seu bebé sobreviveu.

A anestesista admitiu durante a investigação que bebeu vodka com água no início daquele dia, “como todos os dias” por 10 anos, e que tinha tomado uma “taça de vinho” com amigos antes de ser chamad de novo para a operação.

No entanto, afirmou que possuía “70 por cento das suas faculdades” e que “não estava bêbada”, disseram os investigadores.

Após ser detida, foi descoberto que a quantidade de álcool no seu sangue era de 2,38 gramas por litro, o que equivale a cerca de 10 taças de vinho.

Os pais de Hawke e a sua irmã viajaram do Reino Unido para assistir ao julgamento. O seu companheiro e uma dúzia de amigos também estiveram presentes: “Será difícil para eles”, disse o advogado da família, Philippe Courtois. “Vão ouvir coisas que não sabiam ou que preferiam não saber, sobre o que surgiu durante a investigação”, disse.

O tribunal anunciará o seu veredicto na sexta-feira. Wauters enfrenta uma pena  três anos de prisão.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.