Tailândia. Uma “gaiola dourada” para os primeiros turistas estrangeiros

Os primeiros turistas estrangeiros que chegarem à Tailândia após mais de seis meses de interdição devido ao novo coronavírus podem optar por cumprir a quarentena obrigatória num hotel de luxo, com piscina privativa, banheira com vista e cama “king size”.

“Será confortável, embora tenho medo de ficar ansioso com o confinamento”, disse Jean-François, um francês aposentado que mora em Estocolmo e espera passar o Inverno na Tailândia. “Também me pergunto se a Tailândia não está a exagerar um pouco”, acrescentou.

As autoridades obrigam os turistas estrangeiros, que devem chegar a conta-gotas nas próximas semanas, a passarem 14 dias isolados em hotéis especiais, como os de Phuket, no sul do país, antes de poderem prolongar a sua estadia no país.

Com vista para a famosa Baía de Patong, o luxuoso hotel The Senses Resort teve de se organizar para ser um dos poucos na ilha autorizados a receber os visitantes atípicos, que terão de se submeter a vários exames de coronavírus e à aferição de temperatura.

O hotel também teve de mobilizar médicos e seguranças que vão monitorizar os quartos 24 horas por dia, a partir de uma “sala de guerra” especial. Os funcionários foram treinados no hospital e receberam equipamentos de proteção individual (EPIs) para fazer a entrega das refeições à porta dos quartos.

Dezesseis chalés, com uma área de entre 110 e 220 m2, foram redesenhados para que existam apenas superfícies de madeira, ou plástico, mais fáceis de desinfectar. Câmaras de vigilância também foram instaladas na entrada de cada uma das residências.

“Dadas as despesas, não vamos fazer muito dinheiro com esta clientela especial”, disse Suppachoke Laongphet, dono do hotel, um dos nove aprovados em Phuket até agora.

Mas “temos que encontrar algumas fontes de rendimento para apoiar os nossos trabalhadores e a economia local”.

Quarentena milionária

Antes da pandemia do coronavírus, o turismo gerava 93 por cento das receitas de Phuket, a “pérola” do Mar de Andaman. Hoje, porém, 95 por cento dos hotéis e mais de 70 por cento das lojas estão fechadas, de acordo com as autoridades locais.

Daí a necessidade de tentar reabrir a ilha, mas de forma muito tímida: apenas cerca de 300 turistas da República Popular da China e da Escandinávia devem chegar nas próximas semanas – talvez mais, se a situação de saúde continuar sob controlo.

Se o sistema for bem-sucedido, outras províncias tailandesas farão o mesmo.

Passar a quarentena no Senses Resort custa 5.300  dólares para uma pessoa, incluindo refeições, e quase 18.700 para quatro.

Kongsak Khoopongsakorn, presidente da se ção sul da Associação Hoteleira tailandesa, admite que apenas um pequeno número de visitantes escolherá esta forma de quarentena, “aqueles que podem pagar e que desejam ficar vários meses no nosso país, que é muito seguro na luta contra o coronavírus”: “Não é isso que vai permitir uma recuperação duradoura da economia tailandesa”, que depende do turismo, com um número recorde de quase 40 milhões de visitantes no ano passado, “mas permite-nos esperar”, acrescenta.

A 29 de Setembro, o Senses Resort obteve aprovação, e cerca de duas dezenas de turistas indianos e europeus já fizeram reservas para ali cumprirem quarentena.

A Tailândia registou menos de 3.600 casos e 59 mortes relacionadas com o novo coronavírus.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.