Crime de Morges: Autoridades helvéticas não excluem motivação terrorista

As autoridades suíças não descartam a possibilidade de um ataque com motivações terroristas ter estado na origem do homicídio de um emigrante português ao início da noite de sábado, no cantão de Vaud.

O suspeito do assassinato do jovem de 29 anos, natural de Amarante, é, de acordo com a imprensa suiça um homem de 27 anos, de ascendência turca. O suspeito, que foi detido no domingo na localidade de Renens, padece alegadamente de perturbações psicológicas e terá estado detido até ao mês de Junho.

O homem, de 27 anos, tinha ligações aos meios islamitas suiços e terá estado envolvido num incêndio que destruiu uma estação de serviço. O  suspeito terá escolhido o jovem português ao acaso. De acordo com a imprensa helvética, o crime terá sido captado pelas câmaras de videovigilância e as imagens foram cruciais para a detenção do alegado homicida.

O indivíduo em causa, adiantou na segunda-feira o jornal La Cote, estava referenciado pelos serviços secretos suíços desde 2018.

Cerca de uma centena e meia de pessoas participaram ao início da noite de segunda-feira numa homenagem ao jovem português assassinado. A vígíla ocorreu no exterior do restaurante de Morges onde João, de 29 anos, perdeu a vida em circunstâncias que continuam por explicar. O imigrante foi esfaqueado mortalmente quando se encontrava com a companheira e outros amigos no interior do estabelecimento. A investigação está a cargo do Ministério Público Federal, que não exclui a hipótese de a investida homicida se ter tratado de um acto de terrorismo.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.