Coreia do Sul. Parlamento encerrado perante aumento recorde de casos

A Assembleia Nacional da Coreia do Sul encerrou as portas esta quinta-feira e um grupo de deputados submeteu-se voluntariamente a quarentena por receio da propagação do novo  coronavírus, num momento em que o país regista um aumento recorde das infecções diárias.

As autoridades parlamentares  anunciaram a decisão depois de um fotojornalista que cobriu uma reunião do Partido Democrata, de centro-esquerda, na quarta-feira testou positivo para COVID-19.

Dez dirigentes do partido, incluindo o presidente e o líder parlamentar, foram testados e vão submeter-se a isolamento.

O fotojornalista esteve em contacto esta quarta-feira com cerca de meia-centena de pessoas, incluindo 32 deputados e dirigentes.

Esta é a segunda vez que o parlamento sul-coreano fecha as portas devido ao coronavírus. A primeira foi em Fevereiro, quando um cidadão sul-coreano que prestou depoimento numa comissão parlamentar testou positivo.

A Coreia do Sul foi considerada um exemplo na gestão da pandemia do novo coronavírus, tendo conseguido controlar as infecções com uma estratégia de aplicação de testes em massa e de rastreamento dos contatos dos infectados.

Desde meados de Agosto despontaram, no entanto, novos surtos no país, a maioria ligados a igrejas protestantes.

Na quinta-feira, o número de infecções ultrapassou a marca da centena pelo décimo quarto dia consecutivo, elevando o saldo nacional desde o início da pandemia para 18.706.

As autoridades relataram 441 novos casos na quinta-feira, a maioria na região da grande Seul, onde vive metade dos 52 milhões de habitantes do país. Este é o maior aumento diário de casos registado em seis meses.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.