Hong Kong. Polícia impede celebração de efeméride em Yuen Long

A polícia de intervenção  da vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong conduziu uma operação em Yuen Long na terça-feira para impedir que activistas assinalassem o primeiro aniversário dos ataques de que foram alvo manifestantes pró-democracia na estação de metro da localidade.

As forças de segurança usaram gás pimenta para dispersar pequenos grupos de manifestantes e jornalistas num centro comercial da cidade dormitório, situada perto da fronteira com a República Popular da China.

Centenas de pessoas foram detidas e revistadas durante a noite toda e, de acordo com a polícia, houve pelo menos cinco detenções. Foram aplicadas ainda 79 multas pela violação de regras contra o coronavírus que proíbem reuniões e ajuntamentos com mais de quatro pessoas.

A 30 de junho, a China impôs uma lei de segurança nacional no território vizinho com o objetcivo de pôr fim aos movimentos de protesto contra o governo central. O intuito é suprimir a subversão, secessão, terrorismo e conluio com forças estrangeiras. O diploma prevê penas que podem  ir até à prisão perpétua.

Há um ano, na estação de metropolitano de Yuen Long, homens armados com bastões e barras de metal, muitos vestidos de branco, atacaram manifestantes que voltavam para casa depois de um protesto de grandes dimensões.

O ataque de 21 de Julho de 2019 deixou quase 50 feridos, alguns dos quais estavam apenas a passar pelo local. Depois do ocorrido, muitos criticaram a polícia, que foi acusada de demorar para dar resposta ao ataque.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.